11 Dicas de Vitrinismo para seduzir o cliente

A vitrine é o grande cartão de visita da loja! Para criar uma exposição atrativa, capaz de encantar os clientes, é necessário um planejamento focado em usar esse espaço de maneira estratégica, não apenas expondo os produtos, mas aplicando técnicas que fortaleçam a marca.

Sabendo disso e com o propósito de ajudar nessa missão, apresentamos a seguir, um material que pode não apenas deixar a vitrine atrativa, como facilitar o sucesso das vendas.


As técnicas de vitrinismo são ferramentas fundamentais para o varejo!


Independente do ramo de negócio, criar uma vitrine que seduza o cliente irá fazer com que ele entre na sua loja. A vidraça é o primeiro ponto de contato do consumidor com a marca, além de ser um instrumento de atração, por isso, ela deve valorizar o produto e reforçar a imagem da marca. É através dela que o cliente vai se encantar pelo produto exposto e tomar a decisão de entrar e comprar.

Imagine, então, se você tiver as dicas certas para fisgar mais clientes pelas emoções. O grande truque, na verdade, é encantar o consumidor com um impacto que mexa com os sentidos. A valorização dos produtos acaba gerando também desejo e, é claro, criando uma conexão mais forte entre a loja e o público-alvo.

Afinal, quando o assunto é ambientação e decoração de vitrine, não são todos os locais que obtêm êxito no trabalho elaborado para chamar a atenção das pessoas. Criar o hábito de acompanhar as tendências de mercado e o desejo do público faz com que a vitrine precise ser mudada constantemente. Entender um pouco mais sobre vitrinismo e saber como usá-lo com base na psicologia do consumo é o que pode transformar a vitrine em um convite irresistível para quem estava “só olhando”.

Com dados do G1 Economia, oitenta por cento da decisão de compra ocorre na vitrine, e o tempo médio para prender a atenção de um consumidor é de somente 2,5 segundos. Portanto, o expositor é o primeiro e mais importante instrumento de venda do estabelecimento. Esse tempo é muito curto para contar uma história e valorizar um produto, por isso, é necessário atrair o cliente por meio de uma vitrine limpa, organizada e assertiva.


Com técnica e criatividade, é possível montar uma boa vitrine para conquistar o público com a comunicação visual!


Mais do que mobiliários, objetos de cena e produtos, a marca deve criar um ambiente que conte uma história simples, e comunique que ali tem uma oportunidade, através da exposição, iluminação, comunicação sobre atributos principais do produto, preço e, principalmente, fazer disso parte do sonho do consumidor. Assim, é importante escolher temas que agreguem valor para a percepção do consumidor.


Para auxiliar os lojistas associados, a FCDL/SC selecionou 10 dicas que irão tornar sua vitrine mais atrativa! Se você pretende otimizar esse canal de comunicação da sua loja, confira as sugestões para despertar o interesse das pessoas e convertê-las em clientes!


1 – Público-alvo

É fundamental conhecer bem os gostos e preferências dos clientes para definir o tema e composição da vitrine. Isso porque o consumidor desperta atenção para aquilo que tem a ver com os interesses pessoais. Antes de tudo, você precisa ter o público-alvo bem definido. Vários fatores influenciam nisso: poder de compra, hábitos de consumo, estilo de vida e faixa etária das pessoas.

Caso o seu público seja mais jovem, inspirar-se nas decorações modernas mescladas com o retrô pode criar uma atmosfera energética, instigando esse perfil a frequentar o seu estabelecimento. Agora se a loja atende a um público mais maduro, pode apostar em uma vitrine moderna, com tons sóbrios e poucos elementos excêntricos.

2 – Planejamento com o Calendário

No comércio, é preciso trazer movimento e novidade e, para isso, é necessário que sua vitrine acompanhe as diferentes datas do calendário promocional do varejo, desde ações mais expressivas como o Dia das Mães e o Natal, até datas mais específicas que talvez interessem ao nicho do seu negócio, como o Dia do Professor, Dia da Família, entre outros. O planejamento permite que você explore melhor o potencial de cada data através da criatividade.

Os períodos livres, entre uma data comemorativa e outra, podem servir para apresentar novas coleções, como as de mudança de estação. A vitrine apresenta o que há de diferencial para o cliente, então também pode reservar um espaço para promover novas seções e eventos.

O mundo digital acelerou a efemeridade da moda, por isso a necessidade de novidades aumentou. A vitrine deve ser trocada periodicamente, priorize produtos novos e aqueles mais procurados no período. Troque as peças a cada 15 dias.

De acordo com o calendário, é possível planejar os custos com cada design de vitrine, priorizando a maior parte da verba para o que atrai mais clientes ou exige mais merchandising. Vitrines mais simples, ou que não duram muito tempo, devem ter um orçamento menor e sempre de acordo com o retorno.

Não se esqueça de levar em consideração o tempo de desmonte da vitrine. As mais simples gastam horas, mas as mais bem trabalhadas podem levar até mais de um dia. E sempre fotografe o que foi produzido, serve para consulta posterior e ajuda até em uma possível criação de portfólio.


3 – Utilize adesivos para decorar a vitrine

Um elemento decorativo prático e com alto potencial é o adesivo. Hoje ele é produzido facilmente com materiais de aplicação simples, como é o caso do vinil. Eles são uma ótima alternativa para compor a cenografia da vitrine e preencher o espaço que, muitas vezes, pode ficar um pouco frio, já que dá mais trabalho para uma loja de móveis atingir o mesmo atrativo visual do que uma loja de roupas, por exemplo.


4 – Técnicas de composição e exposição

Existem diferentes técnicas para deixar a vitrine mais atrativa: simetria, assimetria, variações, agrupamentos, sobreposição, verticalização, horizontalização e planificação. Procure compreende melhor essas questões de design para aplicá-las na composição e construir um projeto bonito e assertivo.

Entre as alternativas, elevar o piso, usar iluminação focada de LED amarela, prender suportes no teto para pendurar objetos, e criar ambientes temáticos. Todos esses detalhes e informações vão ajudá-lo a escolher a temática e os elementos certos para montar as vitrines da sua loja da melhor maneira.


5 -Boa Iluminação

A iluminação é importantíssima em uma vitrine. As luzes destacam os produtos, potencializam cores e emitem a sensação de que a loja é sofisticada ou descolada, por exemplo. Quando trabalhamos com as luzes estamos mexendo também com os sentidos dos consumidores, uma vez que elas podem despertar diferentes sensações.

Um dos maiores segredos de uma vitrine bem montada é saber projetar adequadamente a iluminação. Em geral, não existe um padrão correto de lâmpadas para usar em vitrines. Todas têm uma propriedade e é bem comum a utilização de vários modelos para resultar em uma iluminação mais eficiente e atrativa de acordo com seus tipos e suas formas de aplicação.


6 – Aplique a Regra de Três para as Vitrines

Dentro das técnicas de vitrinismo, existe uma bem conhecida chamada regra de três. Ela afirma que, na hora de montar uma vitrine, você deve posicionar os produtos em grupos de três, seja lado a lado ou em degraus abaixo do outro.

O motivo é simples: os olhos humanos estão habituados a buscar por imagens simétricas enquanto se movimentam. Essa técnica também vale para grupos de produtos separados por categorias de preço, cores ou tamanhos, estimulando o cliente a comprar mais sem perder tempo buscando outras opções ao redor.

Abuse dessa estratégia para manter as vitrines harmônicas. Elas não devem estar tão cheias, mas também não muito vazias. A dica é posicionar os produtos com uma distância mínima entre eles de 10 centímetros.


7 – Produtos de Destaque

Coloque na vitrine os produtos que devem ter maior destaque e aqueles que vão agradar à clientela. Incentive a venda casada, agrupando produtos semelhantes (Ex.: coloque próximo biquinis, saídas de banho e chinelos de dedo) e que combinam entre si, realizando uma consultoria silenciosa, ou seja; ensine seus clientes sobre o que está na moda e é elegante. Lembre-se: o produto com maior saída deve ficar no centro da vitrine e ao lado de outro mais caro (isso fará o cliente perceber que é um bom custo-benefício).

Crie uma leitura visual simples – não abuse da exposição de produtos, pois o cliente poderá ficar confuso entre tantas opções e não se interessar por nenhuma. Lembre-se que vitrine não é estoque! E nunca exponha o produto com estoque zerado, pois gera frustração em relação à marca e o cliente sairá insatisfeito.


8 – Preço

É necessário planejar estrategicamente a organização dos preços dos produtos para neutralizar a interferência na estética da vitrine. Busque sempre fazer composições nas quais um dos produtos tenha um preço mais acessível do que os outros, sem fazê-lo perder a importância, é claro. Essa atitude faz com que o público entenda que a loja tem uma variedade de produtos de diferentes preços.

O preço deve estar visível, mas jamais fixado na roupa/sapato. Numere as peças da vitrine e crie uma placa com a relação dos números e os respectivos valores dos produtos.


9 – Cores

A comunicação visual de um espaço é o que mais estampa a sua personalidade, e as cores são o fator mais importante para atrair o cliente. Usar as cores da marca para segmentar seções ou apresentar novas coleções, além de gravar na memória do consumidor o padrão cromático da identidade do negócio, cria uma interação com o interior da loja e tudo que ela dispõe.

As cores são entendidas de formas diferentes em cada cultura, às vezes até pelo público. Algumas podem ser chamativas e atrativas, como o vermelho. Mas há cores que podem acabar afugentando a clientela por parecerem monótonas e apagadas, como o cinza. Nesses casos é necessário usar da criatividade para combinar uma boa paleta de cores como um bom argumento para a aquisição de produtos. As cores escolhidas devem ser harmônicas entre si e o ideal é utilizar três cores na vitrine.

Imagem: A2

10 – Reaproveite Materiais

Como já dissemos, é importante mudar a vitrine com determinada frequência. Sendo assim, uma dica inteligente é saber aproveitar alguns materiais já usados em cenografias diferentes. Se você souber conservar os elementos utilizados em uma temática, pode muito bem usá-los novamente em outra produção. Apenas saiba trabalhar a criatividade para que nada fique igual.

Ao reciclar os itens decorativos, você acaba economizando custos de execução, tempo e até mesmo deixando a vitrine bem atrativa. Cuide apenas para manter a vitrine sempre limpa e organizada, de forma que os elementos e materiais estejam em boas condições para reutilização.


11 – Inspirações na Internet

A internet é o maior acervo de ideias que você pode buscar como inspiração para montar as vitrines. Não existe nada melhor para ativar a criatividade do que passar os olhos por imagens no Pinterest ou no Instagram, por exemplo.

Outra maneira de se inspirar é procurar por diversos artigos na web — em sites relacionados ao assunto — com o objetivo de fomentar novas técnicas para a criação de uma vitrine de sucesso. Utilize essas ferramentas digitais a seu favor!

Você pode também observar as vitrines de lojas maiores, que você admira. A ideia não é copiar, mas buscar referências em estratégias, recursos e maneiras de organizar os produtos.

Ouvir o consumidor é essencial desde sempre. Ele está atento a tudo que gosta por meio da internet, inclusive com influências internacionais. Satisfazer essa demanda faz o seu negócio ser uma vitrine para o que acontece ao redor do mundo, e o cliente ficará satisfeito por consumir a sua marca!


Fontes:

https://www.expormanequins.com.br/blog/

https://respostas.sebrae.com.br/

http://g1.globo.com/economia/pme/noticia/2014/08/vendas-de-loja-crescem-25-apos-reformulacao-da-vitrine.html

https://blog.gazinatacado.com.br/

http://blog.lineabrasil.com.br/