outubro rosa

Câncer de mama afeta homens e mulheres

Outubro é o mês dedicado à atenção ao câncer de mama. As mulheres são o foco principal da campanha Outubro Rosa por ser o tipo de câncer mais comum entre o sexo feminino no Brasil e mundo depois do de pele não melanoma, e por responder por 25% dos casos novos a cada ano. Mas, o câncer de mama também acomete os homens. A relação é de um caso no sexo masculino para cada 100 casos em mulheres.

Por ser de incidência mais rara, os homens podem erroneamente ignorar os sintomas do câncer de mama. Assim como nas mulheres, os sinais são caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor, alterações no mamilo, pequenos nódulos na região das axilas ou pescoço e saída espontânea de líquido dos mamilos.

Os casos geralmente estão associados à herança familiar genética e à exposição exógena de estrogênio (hormônio feminino). O autoexame na região das mamas é a melhor forma de monitorar o próprio corpo. Encontrar o câncer no início permite um tratamento menos agressivo e menor é a chance de o paciente morrer por câncer de mama, em função do tratamento precoce. O tratamento é o mesmo para homens e mulheres e pode incluir a mastectomia, quimioterapia, radioterapia ou bloqueadores hormonais.

Já a prevenção ainda é a melhor forma de combater esta e outras doenças. De acordo com o Inca, cerca de 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis como praticar atividade física regularmente, se alimentar de forma saudável, manter o peso corporal adequado, evitar o consumo de bebidas alcoólicas e, no caso das mulheres, amamentar.

Vale destacar que a atenção à saúde é primordial para salvar vidas. Em 2013, do total de casos pessoas que morreram em decorrência do câncer de mama (14.388), 181 eram do sexo masculino e 14.206 do feminino, segundo dados do Inca.

Para 2016, a estimativa do Instituto é do diagnóstico de 57.960 mil casos de câncer de mama. Com uma média de 158 novos casos por dia, a FCDL/SC apoia e incentiva as CDLs catarinenses a fazerem ações em prol do Outubro Rosa.

O movimento internacional nasceu nos Estados Unidos na década de 1990, quando a Fundação Susan G. Komen for the Cure distribuiu um laço rosa aos participantes da primeira Corrida pela Cura, em Nova York. Desde então, a cor e o laço viraram símbolo da campanha anual que estimula a participação da população, empresas e entidades na divulgação de informações na disseminação de informações sobre a importância do diagnóstico precoce sobre a doença. A FCDL/SC não fica de fora e anualmente abraça a causa e incentiva as CDLs catarinenses a também participarem do movimento.

Tags: