Como ter boas e efetivas ideias para o seu negócio

Inovar no ambiente de trabalho e levar ideias eficazes que abram espaço para mudanças e discussões positivas é sempre um desafio. Principalmente quando o local não é propício para sugestões.

Neste paradoxo, existem empresas que costumam investir em um “brainstorming”, também conhecido como tempestades de ideias.  A técnica visa criar dinâmicas de grupo para explorar o potencial criativo de um indivíduo ou equipe. O conceito, apesar de parecer recente, foi desenvolvido em 1939, pelo então propagandista norte-americano Alex Faickney Osborn, quando percebeu que os próprios funcionários tinham dificuldades em criar campanhas criativas para os clientes.

Mas será mesmo que grandes ideias podem ser desenvolvidas de uma hora para outra em reuniões pontuais?

Para o designer americano, Jake Kanpp não é bem assim. O profissional, especialista em resolução de problemas e autor do livro ‘Sprint – O Método Usado no Google Para Testar e Aplicar Novas Ideias em Apenas Cinco Dias’, afirma que este não é o melhor modo de conseguir o que se deseja. Jake diz que essas reuniões produzem resultados superficiais e que fazem com que as propostas sejam diluídas para agradar a todos. Diante disso, sugestões não tão boas acabam sendo aprovadas.

 

E agora, o que fazer?

O designer descobriu, ao conversar com diferentes equipes, que grandes ideias não apareceram em reuniões e dinâmicas de grupos, e sim enquanto os funcionários estavam fora do ambiente de trabalho e sozinhos.

Jake Kanpp também diz que a busca por soluções pode ser feita através de inspirações em outras empresas que passaram pelas mesmas dificuldades e encontraram soluções eficazes e duradouras.

 

Isso é uma verdade absoluta? Não! O bem estar dos funcionários nos locais de trabalho também é uma saída

Em entrevista para o site terra, as arquitetas  Nathália Otoni e Luciana Araújo  acrescentam ‘que ambientes de trabalho antigos são muito fechados e rígidos, não combinam com a geração de jovens que ingressa no mercado’. De acordo com ambas, o investimento das empresas em áreas de descompressão sinaliza mudança em busca de mais equilíbrio entre vida e profissão. “A qualidade do ambiente conta muito na hora de definir o local em que se deseja trabalhar e, o mais importante, permanecer. Empresas que demonstram cuidados com funcionários conseguem reter mais talentos”, e bons resultados.

Elas apoiam o acréscimo a lugares para relaxar em horários propícios, como: mesa de jogos, pufs, uma mesa na copa. Pequenas mudanças que mostrem um sinal de saída nos momentos de grande pressão.

 

Automotivação também é um diferencial

Segundo Karin Parodi, presidente da Career Center, e conselheira de carreira, pessoas positivas, que tem a necessidade de se superar e que aprendem com os próprios erros conseguem manter uma jornada de trabalho saudável. O perfil realmente vai de cada indíviuo que se sobressai, mesmo em locais com circunstâncias adversas.

Para a profissional, escrever listas com objetivos ajuda a extrair do campo das ideias o que se tem e mente, e claro, torna-se mais simples visualizar até onde se desejar chegar e estimar resultados.

 

Cada profissional possui um perfil. Por isso, uma dose de autoconhecimento é essencial para descobrir dá onde vem as melhores soluções e de que forma é possível estimulá-las.

 

Referências para a matéria:

https://www.euax.com.br/2011/10/brainstorming/

https://www.sm.com.br/detalhe/ultimas-noticias/saiba-como-ter-ideias-novas-no-trabalho

https://www.terra.com.br/noticias/dino/inspiracao-e-bem-estar-no-ambiente-de-trabalho,1010d5dca01db1c0258a0b18eb4ac7a258sn49ay.html

https://epocanegocios.globo.com/Inspiracao/Carreira/noticia/2013/04/como-se-automotivar-em-qualquer-ambiente-em-vez-de-ficar-esperando-que-alguem-o-faca-por-voce.html