FCDL Notícias

Entrevista: presidente da Buddemeyer fala sobre crescimento no varejo

Tradicional empresa de têxteis de luxo para cama e banho, a Buddemeyer, de São Bento do Sul, cresce mais no varejo do que na indústria. Começou discretamente, em 2005, a rede Casa Almeida que cresce no comércio físico e virtual, informa o presidente do conselho da empresa, Rolf Buddemeyer.

A empresa fatura cerca de R$ 320 milhões, tem filial no Paraguai e oferece 1.250 empregos diretos. Ele concedeu entrevista à jornalista Estela Benetti, colunista de economia do Diário Catarinense. Confira:

Diário Catarinense – Como foi a trajetória da Buddemeyer e porque entrou no varejo?
Rolf Buddemeyer – A Buddemeyer foi fundada em 1951 pelo meu avô. Tem quase 66 anos. Nesse período, ela se reinventou algumas vezes. A última foi a partir de 2005 e 2006 quando cessou o acordo internacional de quotas. Com isso a competição lá fora passou a ser mais forte e a exportação brasileira de lá pra cá caiu. Então, nós já vínhamos forte no mercado interno e decidimos abrir uma rede de varejo também porque entendíamos que é difícil um empresário multimarcas dar atenção que uma marca precisa. A gente tentou franquias, mas não achamos que era o caminho naquele momento. Então optamos por uma rede própria de lojas que hoje tem 14 unidades. Chegaremos a 25 lojas em 2020.

Diário Catarinense – Onde tem unidades?
Rolf Buddemeyer – Estamos em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte. Vamos abrir este ano em Brasília, em Salvador no ano que vem. Temos intenção de abrir em Curitiba. Vamos abrir em Florianópolis porque o Estado sempre se orgulhou da marca Buddemeyer, é uma questão de prestígio. Já temos loja em Joinville. Esse trabalho no varejo está sendo interessante, as lojas têm sido vitrines da marca.

Diário Catarinense – Como está o e-commerce?
Rolf Buddemeyer – Nós começamos com o e-commerce na Casa Almeida. Vamos ampliar fazendo parceria com clientes nossos, onde a gente dá o portal e faz todo o trabalho do cliente e ele recebe uma comissão. Com isso, conseguimos dar saltos importantes com o e-commerce. Para vender no comércio eletrônico tem que ter serviço bem feito e uma marca de credibilidade. Muita gente compra pela internet para dar presente de casamento. Atuamos com o mesmo preço das lojas reais. A Casa Almeida atua com a marca Buddemeyer Luxus.

Diário Catarinense – Por que a escolha do nome Casa Almeida?
Rolf Buddemeyer – Escolhemos outro nome porque o grande varejo, que vende nossa marca, reagiu muito mal quando a Coteminas criou a rede própria de lojas com a marca Artex. Aí pensamos que, se foi assim com a Coteminas que é muito maior do que nós, como será com a Buddemeyer? Como Casa Almeida era uma marca boa, decidimos seguir com ela.

Diário Catarinense – Como está empresa Buddemeyer?
Rolf Buddemeyer – Nos últimos dois anos, a empresa tem crescido mais no varejo do que na indústria. No varejo, temos avançado cerca de 25% ao ano. Na indústria, 4% a 5%. A razão principal é que a gente teve que eliminar clientes que trabalhavam com foco em preço baixo. Procuramos fazer um trabalho em que a percepção do cliente seja de um preço justo para um produto de qualidade. Como grupo, a gente tem crescido de 9% a 10% nos últimos anos. Este ano estamos investindo R$ 12 milhões e vamos faturar R$ 320 milhões.


Fonte: Portal Diário Catarinense

FCDL Notícias
  • Conheça 10 atitudes que destacam os melhores vendedores lojistas!

    Continue lendo Clique e leia
  • O que é comportamento empreendedor, segundo três especialistas

    Continue lendo Clique e leia
  • Sete dicas para melhorar a experiência do cliente nos atendimentos com chatbots

    Continue lendo Clique e leia
  • Como usar as redes sociais para vender mais

    Continue lendo Clique e leia
  • Os cinco pilares de um atendimento excepcional ao cliente

    Continue lendo Clique e leia
  • Confiança como ponto chave para o e-commerce

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais