FCDL Notícias

Abastecimento: varejo de vizinhança está em transformação

O varejo de vizinhança tem expectativa bem positiva de crescimento em 2019.
Segundo a pesquisa “Mercado de vizinhança”, apurada pela GfK Brasil, no primeiro
trimestre, 71% dos varejistas avaliam que este ano será “melhor” ou “muito melhor”
do que 2018.

A pesquisa, com periodicidade anual, tem como fontes de informação entrevistas
pessoalmente com 400 lojistas e informações do Painel Pequeno Autosserviço, que
visita mais de 23 mil lojas. Além disso, os dados e o assunto serão apresentados
durante 39ª Convenção Anual do Canal Indireto – ABAD 2019 ATIBAIA, que acontece
entre os dias 23 e 25 de abril.

De acordo com a GfK, o mercado de vizinhança tem nos distribuidores e atacadistas
seus maiores parceiros para se abastecer em um país com dimensões continentais
como o Brasil. Além disso, formam a maior frente de concorrência para hiper e
supermercados nas regiões em que atuam.
Entre os fatores mais relevantes para o varejista de vizinhança no relacionamento
com distribuidores e atacadistas estão a agilidade na reposição do estoque e o preço
baixo.

O e-commerce está influenciando fortemente essa relação. Os varejistas passaram a
diversificar e ampliar seus canais de origem de compras. Com a mudança de
comportamento no hábito de consumo da população em direção ao e-commerce, os
varejistas estão aderindo a essa forma de comprar para manter as gôndolas
abastecidas.

Segundo Marco Aurélio Lima, diretor da GfK e responsável pelo levantamento, “30%
dos varejistas de vizinhança já adquiriram o hábito comprar mercadorias para repor
estoques via e-commerce, sendo que esse índice cresce na mesma proporção do
porte da loja”.

A pesquisa constata que nas lojas com quatro check out ou mais, a proporção é de
39%. Para o diretor, ao mesmo tempo que o e-commerce se mostra um desafio
para que distribuidores e atacadistas se adaptem a novas formas de atendimento e
logística, contribui para a boa expectativa de retomada do setor, além de projetar
até 15 mil novos empregos.

Razões para comprar ou repor mercadoria via e-commerce (fonte: GfK):
 37% – comodidade, praticidade e facilidade
 20% – é a melhor opção (não passa por vendedor, contato direto com o
fabricante, entre outros)
 18% – ganha bônus ou desconto
 17% – consegue melhor preço
 Entre os não usuários do canal, 31% preferem comprar pessoalmente e 22%
não sentem necessidade.

Valorização do fornecedor
A pesquisa da GfK também apontou que o varejo de vizinhança valoriza seus
fornecedores com alguns diferencias, entendendo que ambos têm preços
competitivos:
 Atacado
 Entrega
 Facilidade de acesso
 Trabalhar com boas marcas
 Preços baixos em determinados produtos
 Distribuidor
 Ampla variedade de produto

Canais de compra
A pesquisa apontou que:
 67% desse mercado se abastece via atacado/cash&carry;
 49% via distribuidor exclusivo;
 47% distribuidor não exclusivo;
 56% direto com o fabricante;
 8% canal de compras/feira livre;
 7% hiper e supermercado

Fonte: Newtrade

FCDL Notícias
  • Como a neurociência ajuda a ser um empreendedor melhor

    Continue lendo Clique e leia
  • É necessário mais do que a omnicanalidade para atender o cliente

    Continue lendo Clique e leia
  • Boticário e Natura são as marcas que oferecem a melhor experiência ao cliente

    Continue lendo Clique e leia
  • A importância de ESG para o pequeno empreendedor

    Continue lendo Clique e leia
  • Como a digitalização dos meios de pagamento pode impactar no negócio

    Continue lendo Clique e leia
  • Omnichannel: transformando a gestão de estoque

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais