FCDL Notícias

Após quatro quedas consecutivas, varejo tem alta de 2% em novembro

Após quatro quedas consecutivas, as vendas no varejo brasileiro tiveram alta de 2 % em novembro – na comparação com outubro, conforme apurou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) nesta terça-feira (10). Na comparação mensal esse foi o melhor resultado em vendas do varejo desde 2007, quando o indicador apontou alta de 2,3%.

Na comparação com novembro de 2015 o volume de vendas no varejo teve queda de 3,5%. Segundo o IBGE, esse resultado é a 20ª taxa negativa seguida nesse tipo de comparação, porém o recuo menos acentuado desde junho de 2015, quando o resultado foi negativo em 2,7%.

Mesmo com a recuperação no volume de vendas em novembro, os resultados permanecem negativos para o volume de vendas no acumulado no ano com queda de 6,4%. Em 12 meses, novembro de 2015 versus novembro de 2016 a queda foi de 6,5%.

O IBGE apontou ainda que o resultado para novembro do varejo ampliado – que inclui venda de automóveis e de material de construção – o volume de vendas teve alta de 0,6% na comparação com o mês de outubro. Em contrapartida, na comparação com novembro de 2015 o volume de vendas teve queda de 4,5% e atingiu, no acumulado do ano, retração de 8,8%. Em 12 meses (novembro 2015 até novembro de 2016) a retração chegou a 9,1%.

Setores

Cinco das oito atividades de comércio analisadas pelo IBGE impulsionaram o resultado positivo de 2% em novembro. O principal destaque veio do avanço de 0,9% em hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo; seguido por outros artigos de uso pessoal e doméstico com alta de 7,2%, móveis e eletrodomésticos com alta de 2,1% e o setor de equipamentos de escritório, informática e comunicação que apresentou vendas 4,3% superiores no período analisado. Segundo o IBGE, “os desempenhos destes segmentos em novembro indicam um movimento de antecipações de compras para o Natal, fato que se acentua a cada ano. Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos também registra avanço, com alta de 0,6%”.

Queda nas vendas

Por outro lado, entre as atividades com redução no volume de vendas no mês de novembro, em relação a outubro de 2016, estão tecidos, vestuário e calçados com queda de 1,5%, livros, jornais, revistas e papelaria com queda de 0,4% e combustíveis e lubrificantes com retração de 0,4%. Considerando o varejo ampliado, a variação positiva de novembro teve influência, principalmente, do comportamento do varejo de material de construção que apresentou alta expressiva de 7,2%, na medida em que o setor de veículos, motos e partes e peças recuou 0,3% no período.

Fonte: Portal Brasil Econômico

FCDL Notícias
  • Conheça 10 atitudes que destacam os melhores vendedores lojistas!

    Continue lendo Clique e leia
  • O que é comportamento empreendedor, segundo três especialistas

    Continue lendo Clique e leia
  • Sete dicas para melhorar a experiência do cliente nos atendimentos com chatbots

    Continue lendo Clique e leia
  • Como usar as redes sociais para vender mais

    Continue lendo Clique e leia
  • Os cinco pilares de um atendimento excepcional ao cliente

    Continue lendo Clique e leia
  • Confiança como ponto chave para o e-commerce

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais