FCDL Notícias

Brasileiro fez menos compras de itens básicos em 2018

A escolha do novo presidente e a melhora de indicadores econômicos aliados ao
aumento da confiança dos brasileiros no fim do ano não conseguiram reverter o
desempenho negativo das compras de itens básicos (FMCG) no ano passado.

De acordo com o Consumer Insights, elaborado pela Kantar Worldpanel, o consumo
não cresceu em 2018, apresentando queda de 2,1% em toneladas e aumento tímido
de 1,5% em valor na comparação com 2017. Além disso, houve diminuição na
frequência de compra de 2%, o que significa que as famílias fizeram uma visita a
menos ao ponto de venda a cada seis meses. Diferentemente de anos anteriores,
quando a frequência caía e o volume médio por visita aumentava, no ano passado a
frequência caiu enquanto o volume médio ficou estável.

Na análise do consumo fora do lar, que representa quase a metade dos gastos, a
queda foi ainda maior: 2,4% em valor e 3,7% em volume nos 12 meses terminados
em novembro de 2018 na comparação com o mesmo período do ano anterior.
No entanto, de acordo com o estudo, o cenário instável não impediu o aumento de
categorias consideradas premium dentro dos lares, como molho para salada,
sobremesa pronta, azeite, leite fermentado, massa fresca, batata congelada, suco
congelado, chá pronto e cerveja.

Já categorias consideradas menos relevantes, entre elas, tintura para cabelos,
bebida de soja, adoçante, bronzeador/protetor solar, saponáceos, caldos, alvejantes
sem cloro e cloro, perderam penetração nos domicílios. Fora de casa, cresceram
café, cerveja e refrigerantes, enquanto que bebida à base de soja, barra de cereal e
sorvete diminuíram suas presenças.

Em relação aos canais utilizados pelos consumidores, a Kantar Worldpanel detectou
que o brasileiro foi de 5 em 2013 para 7 no ano passado. Mais uma vez, o atacarejo
se destacou, consolidando-se como o canal favorito no país em 2018, crescendo 3,7
pontos de penetração em relação a 2017, enquanto porta a porta teve queda de 5
p.p., seguido por hipermercados e super de vizinhança que, respectivamente,
encolheram 3 e 2,3 p.p.

No quesito cestas, perecíveis e mercearia doce foram os grandes destaques do ano,
aumentando o volume em 3,9% e 2,8%, respectivamente, impulsionado por
biscoitos, refrigerados e leite fermentado.

A análise aponta ainda que no último trimestre, momento do aumento da confiança
da população, o consumo se mostrou estável na comparação com os três meses
anteriores – em unidades, o índice ficou em 102 nos dois períodos, enquanto que
em toneladas foi de 97 para 98. “O ano passado nos apresentou um consumidor que
manteve o mesmo número de categorias no seu carrinho de compras, mas que
escolheu mais seus produtos. Por causa das incertezas causadas pelas instabilidades
econômicas e políticas, o brasileiro optou por fazer mais refeições em casa, no
entanto, elegendo itens mais sofisticados.

Além disso, a redução da frequência de idas ao ponto de venda, fez com que as compras fossem mais específicas e que mais canais entrassem na rotina dos compradores”, analisa Giovanna Fischer, Diretora de Marketing e Consumer Insights da Kantar Worldpanel.

Fonte: Newtrade

FCDL Notícias
  • Conheça 10 atitudes que destacam os melhores vendedores lojistas!

    Continue lendo Clique e leia
  • O que é comportamento empreendedor, segundo três especialistas

    Continue lendo Clique e leia
  • Sete dicas para melhorar a experiência do cliente nos atendimentos com chatbots

    Continue lendo Clique e leia
  • Como usar as redes sociais para vender mais

    Continue lendo Clique e leia
  • Os cinco pilares de um atendimento excepcional ao cliente

    Continue lendo Clique e leia
  • Confiança como ponto chave para o e-commerce

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais