FCDL Notícias

Brinquedos interativos de franquias famosas devem puxar vendas no Natal

Tão esperada quanto para as crianças que abrirão os pacotes no dia 25 de dezembro, o Natal é uma data importante para os fabricantes de brinquedos, que esperam que seus produtos sejam sucesso de vendas e respondam por boa parte dos presentes deste ano.

A expectativa de uma temporada de festas mundial prósperas trouxe presentes de Natal antecipados para os investidores em empresas como a Spin Master, Hasbro e Nintendo —fabricantes de alguns dos produtos de maior sucesso da temporada—, que tiveram um bom ano nas bolsas de valores.

Os sucessos de venda no Natal são a mistura habitual de novos brinquedos que toda criança quer ter e produtos conhecidos. Mas os analistas estão apostando que os brinquedos com mais chance de constar da lista de mais vendidos serão produtos interativos associados a marcas conhecidas, como Star Wars, ou a produtos colecionáveis e jogos para toda a família.

“Algumas formas de licenciamento ganharam importância crítica. Muitas crianças agora têm smartphones e são muito mais conectadas do que nós éramos na mesma idade”, disse Matt Hudak, analista de brinquedos e jogos da Euromonitor. “Os pais estão procurando cada vez mais por esses elementos interativos”. A temporada de festas é crucial para a Mattel, Hasbro e outros fabricantes de brinquedos, já que o quarto trimestre responde por mais de um terço de seu faturamento anual.

As vendas de brinquedos mostraram alta de 6,5% entre janeiro e setembro nos Estados Unidos, de acordo com o grupo de pesquisa NPD, que prevê vendas fortes na temporada de festas, com ajuda de preços mais altos e de dois dias adicionais de lojas abertas entre o Dia de Ação de Graças e o Natal — um deles caindo em um sábado.

No Reino Unido, as vendas da Black Friday e a expectativa de que os preços subam no ano que vem devido à fraqueza da libra também sugerem uma boa temporada de festas para os fabricantes de brinquedos.

No Brasil, por outro lado as famílias, endividadas, estão cortando onde dá, e nem o apelo natalino está conseguindo convencê-las a abrir mais a carteira. Na área da rua 25 de Março, um dos maiores centros de comércio popular do país, o gasto do consumidor caiu pela metade em relação ao ano passado. “Quem gastava R$ 300 agora está gastando R$ 150 em média”, diz Claudia Urias, assessora executiva da Univinco, entidade que representa 4.500 lojistas com atuação na região.

HATCHIMAL

O brinquedo de pelúcia que nasce de um ovo é o presente de Natal obrigatório este ano. Já se tornou tão popular que a cadeia de varejo Target limitou as vendas a duas unidades por pessoa —se estas os encontrarem nas prateleiras.

Como sempre, alguns pais estão dispostos a pagar ágio para garantir o presente obrigatório do ano. Um Hatchimal, vendido por US$ 59,99 na Target quinta-feira (15), estava sendo oferecido por US$ 132,50 no eBay e por US$ 199 por um dos vendedores parceiros no site da Amazon.

O sucesso estrondoso do produto parece ter apanhado a Spin Master, empresa canadense que fabrica o brinquedo e recentemente abriu seu capital, de surpresa. A companhia postou uma nota em seu site afirmando que a demanda havia excedido todas as suas expectativas e que estava acelerando a produção.

“Não queremos que ninguém fique decepcionado, e não favorecemos os preços inflacionados de vendedores não autorizados. Embora novos produtos devam chegar às lojas em dezembro, antecipamos que esse novo estoque também venha a ser vendido rapidamente”, afirmou a empresa.

As ações do grupo, que também fabrica outros brinquedos de sucesso, como Zoomer Chimp e Paw Patrol (Patrulha Canina), subiram em mais de 70% na bolsa de Toronto nos últimos 12 meses e atingiram valor recorde.

Lançado em outubro, o Hatchimal lembra os tamagotchis, do grupo japonês Bandai nos anos 1990, porque ambos são brinquedos que encorajam as crianças a cuidar. Os ovos contêm tecnologia de toque que permitem que as crianças interajam com a casca, que indica quando chega a hora da desova. O brinquedo de pelúcia que emerge também é interativo, e existem diversas famílias de Hatchimals, o que cria um elemento de surpresa quanto a que brinquedo surgirá.

BARBIE

Você sabe que o retorno de um produto encontrou sucesso quando a comediante, atriz e escritora Amy Schumer está disputando o papel do brinquedo no cinema. Isso vale especialmente para a Barbie, que dois anos atrás caiu junto aos pais norte-americanos devido à forma nada realista de seu corpo e à sua monotonia étnica.

Mas a Mattel, líder mundial no mercado de jogos e brinquedos, enfim modernizou a boneca plástica mais conhecida do planeta na tentativa de refletir a crescente diversidade da população dos Estados Unidos e celebrar as diferentes formas e tamanhos das meninas e mulheres.

Funcionou. Como disse Juliana Chugg, diretora mundial de marca da Mattel, no mês passado, “Barbie é um produto quentíssimo”.

“A Barbie tem dois consumidores principais: as meninas que querem brincar com o produto e as mães responsáveis por aprovar a compra. A Barbie só vinha mantendo conexão com um deles. E isso estava realmente criando tensão na decisão de compra”, ela disse.

Tendo lançado 23 tipos multiculturais de Barbie, com oito tons de pele e uma variedade de tamanhos de corpo, a Mattel reportou crescimento mundial de dois dígitos nas vendas da Barbie, em seu trimestre mais recente, a primeira alta em quatro anos, segundo a empresa.

A Barbie encabeça a lista de brinquedos mais populares da Federação Nacional do Varejo dos Estados Unidos este ano, e sua “Dream House” estava entre os mais populares brinquedos comprados on-line na Cyber Monday, de acordo com o Adobe Digital Index.

A casa pode ser transformada em um lar inteligente, dotado de conexão Wi-Fi e com sensores no piso, sistemas de reconhecimento de voz e escadas que se transformam em escorregador.

SUPER MARIO RUN

Lançado na quinta-feira (15), o Super Mario Run —primeiro jogo da Nintendo para smartphones estrelado pelo mais famoso encanador do planeta— é um presente que será jogado, sob a mesa natalina, por crianças, mas também por adultos nostálgicos quanto aos anos 1980.

O jogo tem preço relativamente acessível, pode ser jogado com facilidade usando apenas um dedo e não há preocupação quanto a estoques. Você só precisa de um iPhone, de um vale presente de US$ 10 da iTunes e de uma conexão com a internet.

Depois de décadas de fidelidade aos consoles, o Super Mario Run representa a mais agressiva tentativa da Nintendo de capturar o mercado de jogos para smartphones, que movimenta US$ 36 bilhões anuais.

Do momento em que o jogo foi revelado, em setembro, até seu lançamento, as ações da empresa subiram em 12%, e os analistas mais otimistas projetaram que ele poderia gerar US$ 500 milhões em receita até o final de março.

A estratégia de preço da empresa sediada em Kyoto é única. O Super Mario Run, distribuído exclusivamente pela iOS App Store, pode ser jogado de graça em seus três primeiros níveis, mas ir além custa US$ 9,99.

Embora o preço seja baixo para um presente de Natal, US$ 10 é caro comparado a outros jogos para smartphones que adotam o modelo de acesso gratuito, mas com venda de upgrades.

Os analistas estão divididos quanto à estratégia de preços, mas parece haver pouca dúvida de que o jogo será grande sucesso de vendas na temporada de festas. “A demanda por jogos da Nintendo como presente de Natal sempre foi muito forte. É fácil imaginar que os pais comprarão vales-presente da iTunes e estimularão seus filhos a brincar com Mario”, disse Hirokazu Hamamura, especialista em jogos da Kadokawa Dwango, empresa japonesa de mídia.

LEGO

Os blocos de plástico para montar, fenomenalmente bem sucedidos, vêm encabeçando a lista de presentes mais desejados, para meninos, da Federação Nacional de Varejo dos Estados Unidos desde 2012, e este ano não está sendo diferente —até porque a mais lucrativa das fabricantes mundiais de brinquedos desfruta de forte demanda pelos produtos licenciados que oferece, como a linha Star Wars.

Neste Natal, a Lego continuará a se beneficiar da parceria, oferecendo muitos dos personagens e veículos do filme “Rogue One”, parte da linha Star Wars, que devem ser muito procurados.

Na Cyber Monday, os produtos Lego estavam entre os mais vendidos on-line, de acordo com o Adobe Digital Index, e a empresa detinha a primeira posição em volume e valor de vendas. A Target diz que o Friend Amusement Park Bumper Cars e o AT-ST Walker, dois conjuntos da Lego, estão se provando populares, e a Amazon informa que o Disney Moana’s Ocean Voyage da companhia estará entre seus líderes de vendas nesta temporada de festas.

A Lego vem desfrutando de anos de crescimento da ordem de dois dígitos, graças à liderança de Jorgen Vig Knudstorp, que apostou na ascensão do entretenimento digital quando muitos de seus rivais, a exemplo da Mattel, relutaram em aceitar a nova realidade do setor de brinquedos.

Knudstorp se tornará presidente do conselho da empresa, em um momento no qual seu ritmo de expansão parece estar caindo — se bem que de níveis claramente insustentáveis.

O desempenho da maior fabricante de brinquedos do planeta na atual temporada de festas será bom indicador do sucesso de suas iniciativas junto ao varejo dos Estados Unidos para melhorar seu marketing e a exposição de seus produtos nas lojas. 

 

Fonte: Folha de S. Paulo

FCDL Notícias
  • Conheça 10 atitudes que destacam os melhores vendedores lojistas!

    Continue lendo Clique e leia
  • O que é comportamento empreendedor, segundo três especialistas

    Continue lendo Clique e leia
  • Sete dicas para melhorar a experiência do cliente nos atendimentos com chatbots

    Continue lendo Clique e leia
  • Como usar as redes sociais para vender mais

    Continue lendo Clique e leia
  • Os cinco pilares de um atendimento excepcional ao cliente

    Continue lendo Clique e leia
  • Confiança como ponto chave para o e-commerce

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais