FCDL Notícias

Como escolher o melhor ponto comercial para uma franquia

Quando o sonho de ser dono de uma franquia começa a se concretizar, um dos primeiros passos para dar início à jornada empreendedora é escolher o ponto em que o negócio irá operar. Esse fator pode ser decisivo para o sucesso ou o fracasso da franquia. De acordo com Tonini Junior, sócio-diretor da Praxis Business, que fornece consultoria e educação corporativa para franchising e varejo, a premissa fundamental para um empreendimento bem-sucedido é a sua localização.

O processo de escolha de um bom ponto pode ser demorado e demanda paciência, indica Tonini Junior. O empreendedor deve se atentar a quesitos que garantam que a franquia será notada pelos clientes. O consultor afirma também que é necessário se atentar a detalhes mais específicos, como os aspectos físicos do local e expectativa de faturamento da unidade.

A primeira etapa é escolher em qual setor deseja atuar. “Você quer investir em quê? Qual o produto ou serviço? A quem se direciona?”, questiona o especialista. Ele salienta que é importante saber quem será seu público-alvo para definir a localização geográfica que mais se aproxima dos clientes em potencial e identificar as áreas de influência, ou seja, os espaços nos quais o seu público tem mais chance de estar. Para definir essa área, é possível utilizar indicadores populacionais que podem ser obtidos em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e de prefeituras locais.

O tipo de negócio como fator determinante

O nicho no qual a franquia está presente é crucial para a escolha do ponto. Se você for dono de uma farmácia, faz sentido escolher um local com espaço para estacionamento, por exemplo. Caso opte por ser franqueado de uma rede de fast-food, é recomendável que o negócio se instale na praça de alimentação de um shopping, uma vez que o público que frequenta o local tende a procurar esse tipo de comida, indica Tonini.

Já se o empreendedor optar por operar um bistrô renomado, talvez o piso intermediário do shopping seja a melhor opção. Procure fazer comparações com lojas do mesmo ramo e o posicionamento delas nos locais onde estão presentes. “Escolha um local que converse com a marca”, recomenda Tonini.

Visibilidade e fluxo de pessoas

Se sua loja não é vista pelas pessoas, pode estar fadada ao fracasso. Comece notando qual a acessibilidade do local desejado. Se for um negócio de rua, avalie se o ponto se localiza em uma avenida principal, pouco ou muito movimentada; em frente a um semáforo – ou não –; ou se existem retornos próximos. No caso de um shopping, veja se o local fica próximo ou não de escadas rolantes. Procure reunir o maior número de informações possível, recomenda o sócio-diretor da Praxis Business.

Além disso, é relevante se informar sobre o fluxo de pessoas que têm acesso ao espaço. Uma forma de coletar dados é por meio da amostragem. Compareça ao local várias vezes por dia durante vários dias, em horários diferentes, e anote quantos indivíduos passam em frente à unidade. Converse com lojistas e moradores da região para obter mais informações.

Depois, é preciso tornar-se aliado da matemática. Para Tonini Junior, o próximo passo é desenvolver um simulador de faturamento. “Saber qual é a taxa de conversão da rede é o parâmetro inicial”, afirma. Comece calculando a média de pessoas que passam pelo local em um dia, e com base nisso, faça a estimativa para um mês. Depois busque saber qual a taxa de conversão de entrantes, ou seja, das pessoas que passam em frente à loja, quantas de fato entram nela.

Em seguida, vá afunilando os dados. Do total de entrantes, procure se informar sobre quantos deles compram e o quanto gastam. Assim, é possível estabelecer uma estimativa de faturamento para um mês e aplicá-la a uma demonstração de resultados, por exemplo, para obter o lucro líquido do negócio.

O consultor ressalta que as taxas médias podem ser obtidas e devem ser comparadas com outras franquias da rede ou de estabelecimentos do mesmo ramo. “Veja, de fato, se aquele fluxo do local que você escolheu atende às expectativas de faturamento”, aconselha. Trabalhe com três tipos de cenário de faturamentos: o pessimista, o otimista e o realista.

Arquitetura

Ao analisar a região e os aspectos relevantes para o bom funcionamento do negócio, é importante avaliar também a viabilidade do espaço físico. Certifique-se de que o local a ser escolhido condiz com a proposta da franquia e tenha em mente o que será necessário fazer para que se enquadre nas exigências e no layout estabelecidos pelo franqueador.

A pressa é inimiga da perfeição

“Quando a pessoa está sozinha, no momento da escolha do ponto, o que fala mais alto é a emoção, e não a razão. Você está emocionado por estar prestes a realizar um sonho, para o qual você provavelmente juntou dinheiro a vida toda”, diz Tonini ao se referir à paciência necessária para escolher o ponto ideal. Evite tomar decisões precipitadas e sem embasamento.

Por fim, de acordo com o especialista, é necessário levar em consideração o investimento na franquia. Caso a aplicação de capital seja mais baixa, o empreendedor pode permitir-se correr mais riscos. “São quatro semanas para você olhar com calma todas essas questões. Você não consegue entender tudo em menos de um mês”, afirma.

 

Fonte: Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios

FCDL Notícias
  • Como a neurociência ajuda a ser um empreendedor melhor

    Continue lendo Clique e leia
  • É necessário mais do que a omnicanalidade para atender o cliente

    Continue lendo Clique e leia
  • Boticário e Natura são as marcas que oferecem a melhor experiência ao cliente

    Continue lendo Clique e leia
  • A importância de ESG para o pequeno empreendedor

    Continue lendo Clique e leia
  • Como a digitalização dos meios de pagamento pode impactar no negócio

    Continue lendo Clique e leia
  • Omnichannel: transformando a gestão de estoque

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais