FCDL Notícias

Como gerenciar o efeito pós-férias na empresa

O ditado popular diz que, no Brasil, o ano só começa depois do Carnaval. Os escritórios estão mais vazios, as pessoas mais relaxadas e reina uma atmosfera de férias, mais alegre e mais colaborativa. Desconsiderando o exagero que existe por trás da folclórica frase, é comum observar que uma grande parte das empresas amplia os esforços justamente após esse período de festividade.

Olhando sob o ângulo do profissional, a grande questão é: como voltar ao trabalho após essa época de festividade ou até mesmo depois de um período integral de férias? Há muito material com conselhos sobre como enfrentar essa etapa. E a maioria sugere que “temos que nos preparar para o retorno ao trabalho”, em um tom quase como se tivéssemos que retornar à luta, para uma dinâmica que requer preparação psicológica e física para batalhar dia após dia, como se fosse uma fonte de infelicidade. E isso é uma contradição absoluta. Por que a vida não pode ser agradável, mesmo quando não estamos de férias? Por que não podemos ser eficientes e relaxados ao mesmo tempo? Por que precisamos voltar a um ritmo cada vez mais rápido, competitivo, agressivo e corrosivo, como condição de trabalho? É claro que a vida pode ser muito feliz, tanto em férias quanto no trabalho.

Os índices de mal estar no ambiente de trabalho são alarmantes. Relatório global lançado pela Organização Mundial da Saúde aponta que, no Brasil, a depressão atinge 11,5 milhões de pessoas (5,8% da população), enquanto distúrbios relacionados à ansiedade afetam mais de 18,6 milhões de brasileiros (9,3% da população). Outra pesquisa, da International Stress Management Association (ISMA-BR), de 2019, mostra o País como o segundo com mais pessoas afetadas pela Síndrome de Esgotamento Profissional no mundo. Conhecido como Síndrome de Burnout, o excesso de estresse relacionado ao trabalho tem sintomas similares aos da depressão e afeta 32% da população brasileira.

O trabalho, uma das atividades mais nobres que um ser humano pode realizar, está cheio de conotação negativa e pesada. A questão seria como encontrar o significado, o valor, a essência do trabalho de alguém. Uma das histórias mais famosas para ilustrar isso é a visita do então presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, à base da NASA. Quando a comitiva estava descendo um corredor, passou por um trabalhador de limpeza. Kennedy, como um bom político, cumprimentou-o como havia feito com os outros e perguntou:

– O que você faz da vida?

O homem respondeu com orgulho:

– Senhor Presidente, estou ajudando a colocar um homem na lua.

A responsabilidade individual de cada um é encontrar em sua vida o que o faz feliz e o que o dignifica. Os primeiros meses do ano são uma ótima oportunidade para encontrar momentos e refletir sobre essas questões. Conectando-se consigo mesmo, fazendo um balanço do que foi bem feito e do que poderíamos ter feito melhor ou diferente. O que aprendemos com nossos sucessos e erros?

Existe uma excelente ferramenta de reflexão gratuita que ajuda a se organizar melhor. O exercício leva cerca de 2 a 3 horas e requer calma para revisar o ano passado e planejar o ano seguinte. Nada mais é do que a ferramenta mais poderosa de todo ser humano e, particularmente, de líderes bem-sucedidos: auto-reflexão e autoconhecimento, o que alcançamos no ano passado e quais são as metas para isso. Quais são as coisas principais e quais são as coisas que parecem importantes, mas não são. Conhecer nossos pontos fortes sobre os quais podemos melhorar nosso desempenho. Admitir que existem tarefas que não gostamos de fazer ou que não funcionam para nós e que aprendemos com ferramentas como gerenciá-las. Aprender a estabelecer limites para si e para os outros. Entender que o que acontece com um não é o mesmo que acontece com os outros.

Estas são algumas reflexões que merecem ser analisadas e compreendidas. A tarefa dos líderes é promover uma cultura saudável da empresa, na qual a felicidade dos funcionários vem em primeiro lugar, enfatizando esse valor fundamental. Algumas ações são fáceis de implementar, como horários flexíveis de trabalho, escritório em casa, horário reduzido, aniversário em casa com a família, entre outras. São ações com um retorno importante para o bem estar das pessoas e da organização. Assim, é possível viver o ano com mais tranquilidade, mais harmonia e menos estresse.

 

Fonte: Administradores.com

FCDL Notícias
  • Varejo agora é high-tech

    Continue lendo Clique e leia
  • Jornada de compra: pesquisa mostra grau de preparo dos lojistas com cada etapa

    Continue lendo Clique e leia
  • Lojas Biônicas se tornam realidade

    Continue lendo Clique e leia
  • Vídeos geram 30% mais vendas do que fotos nas redes sociais, revela estudo

    Continue lendo Clique e leia
  • Consumidores estão mais abertos ao consumo de marcas locais

    Continue lendo Clique e leia
  • Como as PMEs estão transformando o sistema bancário

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais