FCDL Notícias

Evite erros na sua operação de e-commerce

Inicialmente, desenvolver uma operação de comércio eletrônico pode parecer relativamente simples. Ainda assim, muitos gestores não conseguem sustentar suas lojas online por muito tempo. Em longo prazo, eles sofrem grandes perdas financeiras, por não conseguirem obter retorno sobre o investimento (ROI). A falha pode ser atribuída a vários fatores, mas a verdade é que administrar um e-commerce é uma tarefa complexa. Isso requer um planejamento meticuloso nas fases de pré e pós-lançamento, além de melhorias contínuas, à medida que seu e-commerce se expande.

Muitas lojas virtuais não conseguem corresponder às expectativas de seus consumidores. Além da dificuldade em lidar com interrupções, algumas empresas alteraram suas práticas de negócio, em decorrência da pandemia de Covid-19, que afetou as cadeias de abastecimento de muitas marcas de comércio eletrônico, que não conseguiram atingir seu público-alvo a tempo. Como resultado, os consumidores escolheram concorrentes que ajustaram e reinventaram suas estratégias com maior agilidade.

Além disso, o domínio de grandes Marketplaces fez com que os consumidores esperassem a mesma conveniência, rapidez e confiabilidade de todas as marcas de comércio eletrônico. No entanto, as empresas estão achando difícil criar experiências “semelhantes” para seus clientes. Qualquer marca que não possa oferecer o mesmo modelo de grandes marketplaces é ignorada, considerando que os compradores também esperam o mesmo nível de experiência do usuário em suas lojas virtuais. Há algum tempo, contar com um modelo de e-commerce desatualizado, não tem funcionado para as empresas. Atrasos, falta de estoque, mau atendimento ao cliente, informações inadequadas e muito mais estão prejudicando a fidelidade do consumidor.

Práticas de e-commerce desatualizadas, geram benefícios mínimos para o seu negócio e consequentemente, drenam seus recursos e saúde financeira. Você deve reconhecer e resolver os problemas flagrantes em seu modelo de negócio. Em geral, todas as empresas de comércio eletrônico estão lidando com os mesmos problemas.

Os 10 principais motivos para o fracasso de um comércio eletrônico

Para garantir o sucesso do seu e-commerce, é vital que você aborde cada um dos seguintes elementos. Todos são necessários, para melhorar o desempenho de sua loja online e corrigir quaisquer falhas ou contratempos que surgirem. Em grande parte dos casos, esses erros se devem a negligências de um ou mais desses elementos.

1 – Ignorando a venda omnichannel

A diversidade dos canais de vendas está assumindo o controle, o que significa que você não pode limitar sua presença a um único canal. As marcas precisam diversificar seus caminhos de vendas — vender em lojas de varejo, em um site de comércio eletrônico, WhatsApp e até mesmo utilizar as mídias sociais. Tente atender os consumidores em seus locais de vendas preferidos, capturando o máximo possível de pontos de contato.

Uma operação de e-commerce omnichannel aumenta sua visibilidade e cria mais oportunidades de vendas. Por essa razão, é importante não ignorar os dispositivos móveis, porque os consumidores também estão “grudados” com seus smartphones, prontos para realizar suas compras. Praticidade tem sido mais importante do que nunca. Facilite a experiência de compra do consumidor, não torne difícil obter qualquer produto ou serviço e garanta que sua loja esteja disponível no maior número de plataformas possíveis.

2 – Sem estratégia de SEO

O SEO é muito importante e necessário para aumentar as vendas, engajamento e a receita do seu negócio online. Na ausência de um SEO preciso, a classificação de uma marca nos motores de busca pode ser afetada. Uma classificação mais baixa leva a menos visibilidade — o que por sua vez leva a baixas taxas de cliques (CTR). Como tal, sua loja virtual recebe muito pouco tráfego.

Quando o tráfego para sua loja virtual cai, as chances de conversões diminuem. Em última análise, um e-commerce depende de conversões (pedidos) para se sustentar. Sem nenhuma venda, você logo estará à beira da falência ou recorrerá a recursos externos para injetar fundos no negócio. Verifique itens como links, meta tags, mapa do site, palavras-chave, URLs, entre outros, para uma campanha de SEO impactante.

3 – Falta de conteúdo valioso

Produzir conteúdo é fundamental para qualquer negócio de comércio eletrônico. Por isso, crie um conteúdo persuasivo, envolvente e informativo. No B2B ou B2C, os consumidores desejam saber cada pequeno detalhe sobre o seu produto. A única forma de informá-los sobre o seu estoque — além dos representantes de vendas, por exemplo — é por meio da criação de conteúdo. No entanto, você não deve ocupar seus representantes comerciais respondendo a perguntas genéricas.

Os representantes de vendas e o restante de sua força de trabalho devem se concentrar em reunir leads e outras atividades de desenvolvimento de negócios. O conteúdo educa seus consumidores. Portanto, se eles decidirem entrar em contato com você, eles terão perguntas mais específicas. Afinal, já consumiram seus conteúdos de valor como perguntas frequentes, descrições, blogs, estudos de caso, especificações, certificações e muito mais. E não se esqueça que esse material também é crucial para sua estratégia de SEO.

4 – Sua plataforma de e-commerce não se encaixa

Não selecione uma plataforma de e-commerce por sua popularidade. A plataforma de e-commerce ideal é aquela que se alinha aos seus objetivos de negócios. Estabeleça seus objetivos futuros, KPIs de investimento, estado atual e projeções anteriores para determinar a melhor plataforma. Não se deixe influenciar por uma mera pesquisa do Google, boca a boca e especialistas tendenciosos. Defina sua escolha em torno de seus objetivos comerciais.

Acredite ou não, existem mais de 20 fatores que qualquer empresa deve avaliar antes de finalizar uma plataforma de e-commerce. Esses fatores são: custos iniciais; custos contínuos; segurança; suporte ao cliente; escalabilidade; flexibilidade; exclusividade entre dispositivos e muito mais. A não consideração desses parâmetros afetará o desempenho da sua loja virtual.

5 – A compra não é personalizada

As marcas devem ajustar suas mensagens de acordo com seu público-alvo. Analise os dados demográficos e mostre as promoções mais adequadas para eles. Separe sua base de clientes e personalize sua comunicação com cada um. No B2B, os clientes querem preços, estoque, frete, pagamento e mais ajustes — dependendo de seu relacionamento com o vendedor.

Já no B2C, os consumidores adoram ver ofertas mais alinhadas com o que estão procurando. Cada segmento que compra em sua loja virtual tem um histórico único. Portanto, você não pode se dar ao luxo de mostrar o mesmo conjunto de ofertas para alguém de São Paulo, em comparação com alguém que interage com sua loja em Fortaleza, por exemplo.

6 – Analytics não são utilizados

Os proprietários de lojas virtuais precisam avaliar seu público-alvo. Não apenas isso, também devem colher informações valiosas sobre seus próprios negócios e concorrentes. Nesse sentido, o Analytics ajuda a recuperar dados e outras métricas informativas. Afinal, é importante analisar dados, reduzir riscos, detectar oportunidades e tomar as melhores decisões para impulsionar a excelência nos resultados.

Essas percepções valiosas ajudam no seu processo de tomada de decisão. Em vez de depender de “estimativas”, agora você está munido de números ricos e intuitivos. Este tipo de dados diz muito mais do que qualquer inspeção de nível de superfície poderia. Tal esforço ajuda a identificar a demanda, levando a menos problemas de excesso e falta de estoque, por exemplo. Com uma análise detalhada, é possível criar soluções mais eficientes para os problemas mais complexos do seu negócio.

7 – Os clientes têm problemas de confiança

Transmitir a credibilidade de uma loja virtual é fundamental. Ninguém quer comprar de um site que parece duvidoso e obscuro desde o início. Afinal, esses clientes estão compartilhando informações pessoais e confidenciais, como cartão de crédito e débito, por exemplo. A falta de “sinais” de confiança pode afastar até o consumidor mais ansioso. Além disso, a confiabilidade do seu negócio é igualmente importante. A presença de certificação adequada resolverá esse problema. Veja algumas formas de validar a credibilidade da sua loja virtual:

Selos de confiança (ebit, RA-Reclame Aqui);

Selos de segurança (McAfee, Norton, Google Safe, Let’s Encrypt);

Além disso, obter um certificado SSL para sua loja, a fim de ativar o cadeado HTTPS, também é requisito obrigatório para adicionar segurança e criar confiança.

8 – Gerenciamento de estoque ineficiente

Em um modelo omnichannel, a falta de visibilidade entre vários pontos de contato pode se tornar um problema para o comerciante. A sincronização de inventário pode resolver esse problema. Centralize essas informações em um único painel. Em essência, automatize todo o seu processo de gerenciamento de estoque e confie menos nos processos manuais. A automação ajudará a regular seu estoque com mais precisão.

Evite problemas e procure ajuda com o rastreamento. Além disso, você visualizaria estoques, matérias-primas, remessas e muito mais de dentro do ERP. A sincronização automática de estoque permite atualizações de estoque para eliminar vendas excessivas. Ajuste o estoque em tempo real e evite atrasos no cumprimento, exibindo com precisão a disponibilidade atual dos produtos. Visualize a contagem de estoque atualizada em todos os pontos de venda à medida que ela é alterada.

9 – Sem melhoria contínua

Em longo prazo, todo e-commerce precisa de melhorias periódicas para se manter à frente da concorrência. Se você almeja a longevidade, uma loja virtual desatualizada não o ajudará a atingir essa meta. Os sites devem buscar inovar e melhorar o tempo todo. Ao ficar parado e sem ativações, você provavelmente será ultrapassado por seus concorrentes.

Nesse sentido, seus adversários de negócio não ficarão estagnados no sucesso que conquistaram até agora — a tendência é que se esforcem para seguir para um próximo nível.

Assim sendo, comece identificando áreas em seu negócio que precisam de melhorias imediatas — especialmente as áreas onde pequenas mudanças podem amplificar os pontos positivos. Pode ser conteúdo, suporte ao cliente, vendas, imagens, automação, desempenho ou qualquer outro fator.

10 – Baixa qualidade do site

As lojas virtuais, ainda hoje, sofrem com uma série de problemas. Itens como navegação, checkout, pesquisa, links, filtros e conteúdo, são só alguns exemplos. A mentalidade de “a loja vende sozinha”, criou uma falsa crença de que uma loja virtual padronizada é suficiente para atrair tráfego e aumentar as conversões.

Entretanto, apenas mais uma loja virtual não é suficiente para fechar negócios. A má experiência do usuário influencia enormemente o número de pedidos da sua loja. A velocidade e o desempenho geral do seu site determinam a quantidade de tempo que os usuários estão dispostos a gastar nele. Se sua loja virtual está sobrecarregada e sofre com o tempo de inatividade e travamentos, espere algum abandono em grande escala de seus clientes. Lojas virtuais não seguem o modelo “configure e esqueça”. Elas exigem atualizações frequentes, a fim de mantê-las na melhor forma e formato.

Conclusão

Quando se vende online, o maior desafio está em competir com as melhores experiências que o usuário pode ter, seja no acesso online ou offline. Quando as inovações tecnológicas estão moldando o futuro do comércio eletrônico, você não quer que sua operação de e-commerce diminua. Os visitantes da sua loja esperam sempre um atendimento simplificado, perfeito e personalizado.

O comércio eletrônico está avançando rapidamente. Estruturas mal planejadas raramente sobrevivem além do primeiro ano de negócio. A natureza brutal e competitiva da indústria exige que as empresas se equipem com soluções robustas de última geração. Para que os negócios evoluam rapidamente, é preciso ingressar em territórios desconhecidos, reduzir os custos de aquisição de clientes, reter esses consumidores e muito mais.

Invista na criação de experiências únicas e memoráveis para seus usuários. Não apenas isso, transmita sua proposta de valor ao seu público.

* Por Elvis Gomes, especialista em E-commerce com mais de 17 anos de experiência no mercado digital, CEO da Painel10 Consultoria E-commerce.

 

Fonte: E-commerce Brasil

FCDL Notícias
  • 34% das redes regionais não investiram em tecnologia

    Continue lendo Clique e leia
  • O compliance digital no contexto das pequenas e médias empresas

    Continue lendo Clique e leia
  • Conheça as 11 formas de pagamento mais usadas atualmente

    Continue lendo Clique e leia
  • Varejo atual precisa estar “próximo, disponível e pronto para o cliente”

    Continue lendo Clique e leia
  • O que vale mais: experiência extraordinária ou experiência sem fricção?

    Continue lendo Clique e leia
  • Um olhar sobre o varejo atual: tudo o que sua empresa precisar saber

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais