FCDL Notícias

Indústria da beleza quer ampliar share no varejo farmacêutico

Um estudo da IQVIA, divulgado pela Federação Brasileira das Redes Associativistas e
Independentes de Farmácias (Febrafar) em fevereiro último, durante encontro com
representantes da beleza capitaneados pela Beauty Fair, uma das principais feiras
de cosméticos do mundo, aponta que 32% das vendas totais do varejo farma em
2018 no país, que contabilizaram um faturamento de R$ 120,3 bilhões, foram
provenientes de não-medicamentos, especialmente produtos de HPC. De olho no
movimento crescente do setor, a indústria da beleza mira suas ações de vendas para
farmácias e drogarias.

Uma outra pesquisa da Mintel corrobora ainda mais com o otimismo dos
representantes da beleza. Nela, as farmácias surgem como o segundo canal
preferido de compras de cosméticos e perfumaria, por quase seis em dez
consumidores (58%). Por isso mesmo, a 15ª Abradilan Conexão Farma, entre os dias
19 e 21 de março, em São Paulo, surge como uma boa oportunidade para que a
indústria do setor avance com as suas vendas no varejo farmacêutico.

Desde 2017, a Dailus considera o varejo farma como um canal estratégico, afinal,
44% das vendas de maquiagens e esmaltes ocorrem nas farmácias. “Encerramos
2018 com avanços significativos e já trabalhamos com as principais redes
associativistas. Mas enxergamos que podemos evoluir muito nesse canal, e, para
2019, temos duas prioridades: continuar o trabalho de expansão e consolidação das
parcerias firmadas e dar início ao processo de expansão aos grupos de farmácias
independentes, que, isoladamente, concentram 25% desse mercado”, explica Samir
Silva, gerente nacional de Vendas da Dailus.

Segundo Silva, todos os skus das categorias de maquiagens e esmaltes da Dailus
estão disponíveis para o canal farma. Porém, como diz ele, o ideal é analisar em
conjunto com os parceiros o mix de produtos mais adequado para cada tipo de
negócio e formato de loja. “Por isso, além de contribuir para a visibilidade da marca,
a feira da Abradilan nos proporciona um ótimo momento para networking, pois
temos a oportunidade de estreitar o relacionamento com clientes, além de
potencializar a geração de novos negócios”, afirma.

Expectativa de bons negócios

De acordo com Juliano Vinhal, presidente da Abradilan, para o varejo farmacêutico,
investir em cosméticos significa gerar negócios em um dos segmentos que mais
crescem no Brasil. “Nosso principal canal de vendas é a perfumaria. Mas nos últimos
anos o farma vem crescendo e diminuindo essa diferença. Hoje ele já representa
35% das nossas vendas”, explica Roberto Vaz, diretor-presidente da Nupill, empresa
de dermocosméticos que disponibiliza seus produtos nas farmácias desde 2007.

Vaz diz que começou a investir no canal farma após perceber a mudança no
comportamento das redes, que melhoraram o mix e passaram a disponibilizar um
espaço cada vez maior aos cosméticos. “Além disso, elas passaram a trabalhar com
uma margem mais adequada e a competir com o canal alimentar, principalmente
com as marcas multinacionais. Agora, acredito que o canal farma vai dedicar um
esforço para conseguir aumentar o mix de marcas regionais, para equilibrar as
margens na categoria de cosméticos, competindo com as perfumarias”, afirma o
executivo.

Novata no canal farma, onde estreou no ano passado, a Professional Donna, marca
de varejo da Itallian Hairtech, empresa de referência entre os cabeleireiros
profissionais, está muito otimista com o desempenho em 2019. “Nesse cenário de
expansão da marca, o papel dos distribuidores da Abradilan será fundamental. Eles
têm a expertise e logística necessárias para ganharmos escala”, explica o gerente de
Marketing, Décio Alcântara, que prevê um incremento de 30% de seus produtos no
varejo. “Na feira conseguimos unir a indústria, o distribuidor e as farmácias e
drogarias para a formação de parcerias e o fomento de negócios que contribuem
com toda a cadeia”, diz.

Mercado que só cresce no Brasil

De acordo com a Pesquisa de Beleza e Cuidados Pessoais da Euromonitor, até o ano
de 2020 o Brasil terá um aumento acumulado que chegará a 14,3%, uma média de
2,7% a cada ano. De olho nesse cenário, o espaço concedido ao setor cresceu 10%
na 15ª Abradilan Conexão Farma. “Com bom desempenho, mesmo em momento de
crise, enquanto vários setores enfrentam dificuldades em manter a atenção dos
seus consumidores, o mercado de cosméticos segue em crescimento”, explica
Vinhal.

Maria Cristina Amorim, diretora-executiva da Abradilan, revela que a análise é
relevante para o varejo farma por que o comportamento do consumidor deve
continuar ampliando o papel das farmácias na comercialização desses produtos. “É
necessário que os distribuidores estejam atentos à essa oportunidade. Muitos deles
ainda concentram 100% dos seus negócios em medicamentos, mas precisam
entender a categoria e aproveitar o bom momento dos cosméticos no Brasil para
emplacar seus negócios”, argumenta Vaz, da Nupill.

Fonte: Newtrade

FCDL Notícias
  • Como a neurociência ajuda a ser um empreendedor melhor

    Continue lendo Clique e leia
  • É necessário mais do que a omnicanalidade para atender o cliente

    Continue lendo Clique e leia
  • Boticário e Natura são as marcas que oferecem a melhor experiência ao cliente

    Continue lendo Clique e leia
  • A importância de ESG para o pequeno empreendedor

    Continue lendo Clique e leia
  • Como a digitalização dos meios de pagamento pode impactar no negócio

    Continue lendo Clique e leia
  • Omnichannel: transformando a gestão de estoque

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais