FCDL Notícias

Interesse por digitalizar os negócios dispara. mas como assegurar que eles deslanchem?

Termo “loja online” nunca havia sido tão buscado quanto agora, indicam dados do Google. Desafio dos empreendedores é definir estratégias para atrair clientes e fechar vendas pela internet

Desde que começaram as medidas de isolamento social para conter a disseminação do coronavírus, empresas de todos os portes passaram a encarar a digitalização com seriedade. O interesse pelo assunto disparou. Entre abril e maio, termos como “criar site” e “vender pela internet” registraram picos de busca dos últimos 12 meses, indicam os dados do Google Trends. Outros, como “loja online”, nunca haviam sido tão procurados. Migrar para o ambiente digital é uma tendência que acelerou, mas isso envolve bem mais do que colocar uma página no ar. Uma sondagem da HostGator – multinacional de hospedagem de sites – com cerca de 2.500 empreendedores em geral mostra que 43% já têm um site, mas enfrentam dificuldades para atrair clientes. Como, então, assegurar que os negócios online efetivamente deslanchem?

“A necessidade de isolamento social deixou muitos empreendedores sem chão de um dia para o outro”, diz Ricardo Melo, Gerente de Marketing da HostGator. “Alguns tinham operações totalmente baseadas na presença física, e por isso sofreram fortemente. Mas mesmo os que já possuíam algum grau de presença online sentiram o impacto da queda generalizada da atividade econômica”. Um dos problemas, segundo Melo, é a crença de que basta colocar um site no ar para começar a vender pela internet. Raramente é isso que acontece. Há um longo caminho entre uma ponta e outra – e ele exige estratégia e persistência.

Mas como traçar uma estratégia para digitalizar um negócio? A experiência do Garimpário – um brechó online fundado em 2011 – envolveu mesclar conhecimento técnico e sensibilidade. Nascido da paixão por garimpar brechós que os sócios Renato Kormives e Emanuele Lazzari cultivavam, o Garimpário levou uma atividade que tradicionalmente envolve presença física para as redes. “Comprávamos muitas peças bonitas, mas não tínhamos recursos nem tempo para manter uma loja física. O e-commerce foi a saída que encontramos na época, e esse acabou se consolidando como nosso modelo de negócios até hoje”, conta Renato. Para conseguir clientes, os sócios sempre apostaram na produção de conteúdos e editoriais de moda, com regularidade e qualidade, além de anúncios em redes sociais como o Instagram. Eles também investem na melhoria contínua do site, assegurando que os visitantes tenham uma experiência de navegação tão boa que eventualmente resulte em uma compra.

Estratégia online para enfrentar a crise

Para enfrentar o atual período crítico, a decisão dos empreendedores foi manter a estratégia de divulgação do Garimpário, sem interromper a produção e a publicação de fotos e conteúdos, mesmo controlando o orçamento e sem um grande investimento. “Montamos um pequeno estúdio e estamos, nós mesmos, produzindo as fotos”, conta Renato. Os sócios e até seus filhos viraram os modelos, num esforço para se manterem presentes para os clientes. Eles já venderam mais de 6 mil peças desde a criação da loja.

Obter resultados na internet depende de algumas ações práticas, conforme Melo, da HostGator. “É necessário ter clareza sobre o que a empresa faz e para quem, estruturar um plano de negócios para saber o que ofertar e como, e definir uma estratégia para atrair o público”, recomenda. Pular essas etapas é o que normalmente fazem as empresas que engrossam as estatísticas de mortalidade de negócios: estudos sugerem que 80% dos e-commerces encerram as atividades antes de completar 18 meses.

“Se uma loja física tem um desempenho melhor quando está em uma rua movimentada, um negócio digital, da mesma forma, também prospera quando consegue atrair tráfego”, diz Melo. Para quem não sabe bem por onde começar, o ideal é buscar informações e estudar para conseguir implementar estratégias de atração de clientes. A plataforma Collabplay, criada pela HostGator, reúne cursos online gratuitos voltados para quem quer empreender na internet. Um dos treinamentos – Boas práticas para expandir seu negócio na internet – ensina a utilizar ferramentas como WhatsApp Business, Google Meu Negócio, Trip Advisor e Criador de Sites para alavancar os negócios online. “O Google recebe cerca de 6,5 bilhões de buscas diariamente, e algumas delas são sobre serviços, soluções e produtos como os que sua loja oferece. Dedicar um pouco de esforço para ser encontrado vale a pena”.

7 passos para migrar um negócio físico para o mundo online

Passo #1: Pense no produto

No ambiente digital, o cliente não tem contato direto com o produto à venda. Por isso, é preciso ser honesto e detalhista ao expor as características dele. Use fotos de qualidade em ângulos diversos, informe as medidas, explique as especificações de uso. Se for um produto digital, como um curso online, ofereça uma explicação clara a respeito.

Passo #2: Analise seu negócio

Tenha clareza sobre quais são seus objetivos na internet. Sejam eles quais forem, trace metas bem definidas para saber em que se focar. Uma boa estratégia é adotar a regra SMART (specific, measurable, achievable, relevant, time-based) para estabelecer objetivos, que devem ser específicos, mensuráveis, atingíveis, relevantes e com prazo para serem concretizados.

Passo #3: Tenha um site eficiente

O site é essencial na presença online de uma empresa. É nele que os clientes buscam informações sobre os produtos, conferem o endereço da loja física, realizam compras, etc. Mas isso só é possível se eles puderem encontrar a página com facilidade. Um site eficiente deve ter um layout simples, uma versão para dispositivos móveis, múltiplos formulários em que os clientes possam deixar seus dados de contato, entre outras características.

Passo #4: Marque presença nas redes sociais

As redes sociais são o segundo lugar em que uma empresa precisa estar. Os perfis online servem para falar sobre promoções e novidades. Caso você já trabalhe com estratégias de marketing de conteúdo, divulgue seu blog e seus conteúdos. Vale lembrar que é essencial focar na qualidade de conteúdo e não na quantidade.

Passo #5: Faça um blog

Criar um blog é uma das principais estratégias de marketing de conteúdo. Sua função é atrair tráfego de possíveis clientes para o site, além de disponibilizar conteúdos relevantes para o público-alvo. É importante oferecer informações úteis para as pessoas e manter um padrão de frequências de postagens, seguindo um calendário editorial.

Passo #6: Aposte na publicidade online

Aproveite a diversidade de canais que a internet oferece para divulgar seu produto. Você pode apostar em anúncios pagos, banners etc. Essas campanhas devem ser articuladas com cuidado e submetidas a testes periodicamente para verificar quais são efetivas e ou não. É bom lembrar que os resultados desse tipo de estratégia aparecem no médio e longo prazo.

Passo #7: Aproveite os recursos das lojas online

Há várias ferramentas que facilitam a gestão de um e-commerce e a geração de negócios online, como sistemas de gestão empresarial (ERP), e-mail marketing e Google Analytics. Esses recursos simplificam o processo de vendas, permitem a avaliação em tempo real de métricas e facilitam atividades cotidianas que poderão beneficiar também o negócio físico.

 

Fonte: Revista Varejo Brasil

FCDL Notícias
  • Conheça 10 atitudes que destacam os melhores vendedores lojistas!

    Continue lendo Clique e leia
  • O que é comportamento empreendedor, segundo três especialistas

    Continue lendo Clique e leia
  • Sete dicas para melhorar a experiência do cliente nos atendimentos com chatbots

    Continue lendo Clique e leia
  • Como usar as redes sociais para vender mais

    Continue lendo Clique e leia
  • Os cinco pilares de um atendimento excepcional ao cliente

    Continue lendo Clique e leia
  • Confiança como ponto chave para o e-commerce

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais