FCDL Notícias

Não deixe o futuro da sua empresa nas mãos de terceiros

Passamos por um momento delicado em que a economia não consegue retomar o
seu curso normal de crescimento fazendo com que os números alarmantes do
desemprego e de fechamento de empresas se mantenham em patamares
desconfortáveis.

Todos os dias somos bombardeados pelas mídias sobre dados ruins da economia e
vários dos denominados “gurus” insistem em manter um pessimismo sobre o
futuro. Alguns alegam que, para que a economia retome seu crescimento, serão
necessárias ações políticas (ex: reforma da previdência) e todos nós acreditamos e
nos colocamos na defensiva com medo de investir, contratar, inovar, deixando o
tempo passar e colocando nas mãos de terceiros o futuro de nossa empresa.

Mas, será que estamos fazendo a coisa certa? Será que nós não nos acomodamos
contaminados por informações ruins? Na minha opinião, sim. A crise porque
passamos não acabou com o dinheiro que estava em circulação e sim, fez com que
quem o detém seja mais cauteloso, exigente e criterioso na hora de gastar e é esta
diferença que ainda não entendemos. A cada crise o sarrafo sobe um degrau e você
e sua empresa precisam estar preparados para voos mais altos.

É fato que muitos cenários ainda parecem embaçados, mas como empresário e
consultor de negócios há mais de 20 anos, posso afirmar com tranquilidade que o
futuro de nossas empresas está em nossas mãos. Se a sua empresa possui um bom
produto ou serviço, se deixar contaminar pelos noticiários e por pessoas negativas, é
um grande erro e pode até ser fatal. Você precisa retomar o controle da sua
operação se adequando a nova realidade do mercado e para isso é preciso vontade
e determinação. Se não sabe por onde começar, deixo algumas dicas que sempre
dão certo:

1. Observe a sua empresa de fora para dentro
Se você é um lojista, fique do outro lado da calçada e observe a sua loja e o
comportamento de quem passa por ela. Iluminação, vitrine, modelo de abordagem
de clientes, letreiro e principalmente, observe quantas pessoas passam, olham e não
entram. Sua cabeça vai fervilhar de ideias.

Se você é empresário, experimente ligar para sua empresa como se fosse um cliente
e pergunte sobre seus produtos, prazos de entrega, formas de pagamento e observe
o tempo de resolução para atendimento e resolução de problemas, mas cuidado
para não se assustar.

2. Seja positivo
Seus funcionários acordam todos os dias para lhe ajudar. Mas, já pensou chegar ao
trabalho e encontrar um patrão que só reclama das coisas, que acha que vai ter que
fechar, que só fala em cortar custos (inclusive pessoas), que não tem como pagar as
suas obrigações… que comportamento você espera que estas pessoas tenham
diante de um cenário horroroso desses? Seja positivo, converse, peça opiniões,
incentive a todos, passe sempre uma mensagem de profissionalismo e superação e
jamais de um simples otimismo. Os otimistas morrem esperando por algo que pode
não acontecer.

3. Gerencie seus custos
Não há nada mais ineficaz do que cortar custos. Você corta hoje e eles voltam
amanhã com filhotes. O que você precisa fazer é gerenciar, acompanhar seus custos
identificando imediatamente grandes variações e agindo. Crie uma planilha mensal
de custos (fixos e variáveis) e mantenha-os sobre vigilância constante.

4. Não deseje ser um Super-Homem
Em muitas ocasiões ficamos preocupados com a mosca e o elefante fica passeando
na nossa frente e não vemos. Sabe porquê? Porque centralizamos tudo. Vendas,
administrativo, financeiro, vitrine, caixa, faturamento, etc. Queremos centralizar
tudo e não cuidamos de nada. Delegue, entregue responsabilidades e acompanhe.
Você só tem dois braços e uma cabeça para pensar, lembra?

5. Contrate os melhores
Pessoas “mais ou menos” só podem entregar resultados “mais ou menos”. Esqueça
essa muleta de que um bom profissional custa muito caro. Caro é perder clientes,
pagar juros, vender mal, e principalmente ter que refazer o que já deveria estar bem
feito. Bons profissionais realmente exigem investimento, mas se pagam facilmente.

6. Aprimore seus conhecimentos
Qual foi a última vez que você participou de um curso, palestra ou congresso sobre
o seu segmento? Mais de um ano? Então corra e recomece já. O mercado muda a
todo instante e quem não acompanha esta mudança, dança.

7. Conheça a sua operação
Responda sem pensar: Qual é o seu custo fixo mensal? Qual o valor e o giro do seu
estoque? Qual é o seu Ponto de Equilíbrio? Quantos clientes ativos sua empresa
possui? Qual é o seu Ticket Médio? Difícil de responder? Pois é; se você não conhece
a sua empresa como espera ter sucesso?

8. Não entre em guerra de preços
O concorrente vende por 10 você por 9. Depois ele vende por 8 e você por 7 e ainda
argumenta que se não fizer isso vai perder venda. Amigo, se você continuar a fazer
isso, você não vai perder só venda. Você vai perder a empresa.
Portanto, não espere apenas por ações externas para revigorar a sua empresa seja
ela de que tamanho ou segmento for. Olhe para dentro da sua operação, faça tudo
que estiver ao seu alcance com profissionalismo e extrema qualidade. Planeje com
detalhes aonde chegar e como chegar.

Em um mundo onde quase tudo virou commodities com qualidade, preço e forma
de pagamento similares, será sempre o mais ágil – e não o maior ou mais antigo –
que sobrevivera. Logo, ficar esperando que terceiros decidam o seu futuro não é
uma opção.

Fonte: Administradores

FCDL Notícias
  • Varejo agora é high-tech

    Continue lendo Clique e leia
  • Jornada de compra: pesquisa mostra grau de preparo dos lojistas com cada etapa

    Continue lendo Clique e leia
  • Lojas Biônicas se tornam realidade

    Continue lendo Clique e leia
  • Vídeos geram 30% mais vendas do que fotos nas redes sociais, revela estudo

    Continue lendo Clique e leia
  • Consumidores estão mais abertos ao consumo de marcas locais

    Continue lendo Clique e leia
  • Como as PMEs estão transformando o sistema bancário

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais