FCDL Notícias

Networking: agregando valor ao seu trabalho

Agregar valor ao que oferecemos, não somente aos nossos clientes, mas às empresas onde trabalhamos, é palavra de ordem. Conhecer o seu potencial, investir energia no lugar certo, buscar um bom nível de informações… São fatores que aumentam o potencial de acerto.

Cada vez mais são oferecidas ferramentas que viabilizam o acesso às informações. A digitalização, as inovações, o crescimento das plataformas, a migração constante para o consumo online. Todos esses avanços não apenas facilitam, como proporcionam o impulsionamento das carreiras, o crescimento intelectual e a disponibilidade do conhecimento.

Hoje em dia podemos constatar um grande nivelamento intelectual e de capacidades ao abrir uma vaga no mercado de trabalho. O que faz efetivamente diferença? Como podemos nos destacar? O grande diferencial será o networking.

Usando o networking

O Networking efetivo não apenas alavanca a carreira como aumenta a empregabilidade, além de ser responsável por grande parte do crescimento de uma empresa.

Todos estamos dispostos a pagar por confiabilidade. Em uma situação onde dois currículos são praticamente iguais, fará diferença alguém mais próximo, onde de certa forma características sócio emocionais (tão valorizadas em nossos dias) são mais conhecidas.

Em 1967, o psicólogo e professor de Harvard, Stanley Migral, publicou um estudo intitulado “The Problem of Small World” (O problema do Mundo Pequeno). Ele demonstrava que seis elos são suficientes para ligar quaisquer duas pessoas. Na década de 90, o cientista da computação da Universidade de Virgínia, Brett Tjaden, criou o jogo “The Oracle of Bacon” (Oráculo de Bacon), disponível na Internet. Neste caso, demonstra como um ator se relaciona com qualquer artista, seja ele de filmes americanos ou não.

Como o networking deve ser realizado

Se muito antes do avanço tecnológico de nossos dias já se estudava, entendia e valorizava o poder das redes de relacionamento, na atualidade não devemos desprezar e tratar de forma desatenta as ferramentas que dispomos nas mãos.

Lembrando que o networking não deve ser realizado de qualquer forma. Uma pesquisa indicou que 75% do networking são efetivados em jantares, 50% em almoços e apenas 10% pela manhã. Dentre outros fatores, esse resultado se dá por conta das diferentes reações da amigdala cerebral. Na parte da manhã, a intencionalidade é mais explícita, além das pessoas estarem mais preocupadas com as suas rotinas. Já à noite o tempo é mais propício ao relaxamento necessário para o início da construção de prováveis bons relacionamentos.

Um bom networking precisa ser realizado não com intencionalidades explícitas que levam a situações constrangedoras, mas sim com sinergia e convergências de interesses — as quais valorizam o relacionamento, que por sua vez potencializa grandes realizações. Segundo a Robert Hall, empresa global de recursos humanos, 4% de networking efetivo determina 64% das receitas de boas empresas. O networking sem margem de dúvidas acelera o crescimento.

Quais as ferramentas que auxiliam no networking efetivo?

A tecnologia é a nossa grande aliada. Por meio dela localizamos as pessoas com facilidade, encurtamos distâncias. É possível propiciarmos encontros virtuais, frequentarmos grupos de interesses convergentes, nos expressarmos com prontidão, etc. Conseguimos nos fazer presentes em vários lugares quase que ao mesmo tempo. Se aliarmos tecnologia à disposição, de fato de construiremos relações que fazem a diferença para alcançar resultados surpreendentes.

A tecnologia ativa o networking e, aliada à uma comunicação empática e transparente, traz ganhos exponenciais. Comunicar tem poder de transformação. Recentemente foi realizada uma pesquisa pela consultoria Holmes PR com 400 empresas nos Estados Unidos e no Reino Unido. Nela, foi concluído que as empresas que desenvolvem uma comunicação eficiente conquistam retornos 47% mais altos. Toda instituição que conseguir engajar seus colaboradores por meio de uma boa comunicação — e no cenário de constantes transformações em que vivemos — terá equipes envolvidas com a sua missão. E, consequentemente, entregará mais valor aos seus clientes.

Clientes querem atenção, customização, solução, promessas cumpridas, integridade e relacionamento. Colaboradores buscam conhecer a missão da empresa, a visão (onde estão e para onde vão), engajamento (se sentirem parte de um todo), reconhecimento e recompensa.

Treinar o networking na empresa

Uma empresa composta por colaboradores cujas missões pessoais se relacionam de forma interdependente com a missão da instituição entrega mais valor aos seus clientes. Afinal, esses colaboradores entregam mais valor em seus trabalhos.

Para agregar valor ao seu trabalho e consequentemente aos seus clientes, invista em aprimoramento e planejamento ao invés de “improvisação”. Treine sua equipe para fazer networking. Invista em tecnologia e inovação, lembrando que não é necessário iniciar com projetos extraordinários.

Aperfeiçoamento, engajamento, networking, tecnologia e inovação: se eu tivesse que deixar uma “receita” para 2021 seria essa!

* Por Cristiana Aguiar, economista, consultora e articulista.

 

Fonte: E-Commerce Brasil

FCDL Notícias
  • Como a digitalização dos meios de pagamento pode impactar no negócio

    Continue lendo Clique e leia
  • Omnichannel: transformando a gestão de estoque

    Continue lendo Clique e leia
  • Caminhos para uma boa reputação: como atender às expectativas do consumidor?

    Continue lendo Clique e leia
  • As oportunidades e desafios do social commerce no Brasil

    Continue lendo Clique e leia
  • 34% das redes regionais não investiram em tecnologia

    Continue lendo Clique e leia
  • O compliance digital no contexto das pequenas e médias empresas

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais