FCDL Notícias

O desafio da Marisa em 2017 é vender

No ano passado, a Marisa aumentou o prejuízo verificado em 2015. As vendas foram mais de 10% menores e mesmo nas lojas abertas há mais de 12 meses os resultados foram negativos, de queda de 9,7% ao longo do ano. Para 2017, então, a prioridade da marca é vender, segundo disse Marcelo Araújo, diretor-presidente da marca, em conferência a analistas. “A Marisa vem fazendo investimentos importantes na melhoria das lojas, em ganhos de produtividade. Ainda há oportunidades a serem capturadas e esperamos que novos projetos aumentem os ganhos de produtividade, mas o desafio continua sendo as vendas, as despesas”, afirmou.

Para o executivo, 2017 ainda será de desafios para a Marisa, que precisa estar pronta para capturar um possível aumento de vendas. “O desemprego estará próximo do pico ainda neste trimestre e a partir do segundo esse cenário começa a arrefecer: seja por conta do desemprego, do crédito e da volta do consumo das famílias empregadas, cujo consumo estava contraído, espera-se um retorno do consumo e nosso desafio é estar pronto para esse momento de retomada”.

Os desafios operacionais e de despesas também não devem ser deixados de lado neste ano. “Isso para que a companhia passe por esse período de forma saudável”, afirmou Araújo. “Estamos com foco naquilo que é prioridade e não vamos deixar de fazer os investimentos necessários, olhando para o futuro”, diz.

Na pauta está o Programa Transformar, formado por mais de 300 ações a serem realizadas em diferentes frentes em toda a organização, com o intuito de eliminar lacunas de eficiência nos principais pilares da operação, com uma atenção especial para as áreas de produtos, fornecedores e operação de lojas, onde reconhecidamente estão as principais alavancas para a recuperação das vendas da Companhia. O escopo do programa é para três anos.

“É uma melhoria da nossa proposta de valor para sermos mais assertivos neste momento, com foco nos primeiros preços e nas oportunidades promocionais. Aumentamos a frequência de ações de marketing no ano passado e esse esforço será mantido em 2017”, disse.

“Estamos no caminho certo, mantendo as margens adequadas com estoque sob controle e não acreditamos no modelo de vendas deteriorando as margens, porque a elasticidade do consumidor está restrita e esse não é o caminho mais adequado”, considerou Araújo.

Assim como grandes varejistas, a Marisa também está de olho na integração dos canais, pensando no preparo para o futuro. “Apesar de estarmos passando por problemas desafiantes, continuamos seguindo confiantes no futuro e todos os indicadores de monitoramento da nossa marca são positivos, o que indica que estamos próximos das nossas consumidoras e preparados para a retomada. Estamos focados nas ações de ganho de eficiência e fazendo todo o ajuste da oferta de proposta de valor em um ambiente de vendas para que a consumidora se sinta o mais acolhida possível”, finalizou.

Fonte: Portal No Varejo

FCDL Notícias
  • Como a digitalização dos meios de pagamento pode impactar no negócio

    Continue lendo Clique e leia
  • Omnichannel: transformando a gestão de estoque

    Continue lendo Clique e leia
  • Caminhos para uma boa reputação: como atender às expectativas do consumidor?

    Continue lendo Clique e leia
  • As oportunidades e desafios do social commerce no Brasil

    Continue lendo Clique e leia
  • 34% das redes regionais não investiram em tecnologia

    Continue lendo Clique e leia
  • O compliance digital no contexto das pequenas e médias empresas

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais