FCDL Notícias

Pix no varejo: o que vai mudar?

Conseguir agilidade para receber e efetuar pagamentos pode fazer uma grande diferença para o seu negócio. Afinal de contas, ninguém quer ficar esperando muito tempo para receber por uma venda, ou mesmo ter a possibilidade de conseguir melhores condições ao fazer uma compra porque é possível efetuar o pagamento de forma mais rápida.

Tudo isso agora é possível através do PIX, ou pagamento instantâneo, que entrará em vigor no Brasil em breve. Por isso, é fundamental que você conheça mais detalhes sobre PIX e qual será a sua influência no varejo. Para te ajudar a entender essa novidade, como ela funciona, quais os requisitos para começar a usar e ainda como você poderá usá-la a seu favor, elaboramos esse artigo com tudo o que você precisa saber. Boa leitura!

O que é o PIX e como ele funciona?

O PIX, ou pagamento instantâneo, é o nome de uma nova modalidade de pagamento que apesar de já existir em outros países pelo mundo está chegando ao Brasil agora. Essa novidade foi anunciada pelo Banco Central do Brasil em fevereiro de 2020 e que passará a funcionar no país a partir da segunda quinzena de novembro de 2020.

Com o PIX as pessoas conseguirão fazer transferências de dinheiro e pagamentos de forma imediata. Isso significa que quando você for efetuar um pagamento ou transferir o dinheiro para alguém, que o valor irá sair da sua conta e cair na conta do recebedor em questão de segundos.

Além disso, com o PIX as transações financeiras estarão disponíveis 24 horas por dia, 7 dias por semana. Portanto, se precisar fazer uma transferência no final de semana ou durante um feriado, você não precisará mais esperar até o próximo dia útil para que o pagamento seja efetuado.

Para facilitar os pagamentos via PIX as instituições financeiras e as fintechs estão fazendo o cadastro das chamadas chaves PIX. O cadastro da chave já está disponível desde o dia 05 e muito provavelmente você já se deparou com algum comunicado do seu banco, caso tenha acessado a sua conta pela internet ou através do aplicativo do banco.

Entretanto, ele não é obrigatório para quem quiser usar o serviço de pagamento instantâneo, que poderão ser realizados normalmente, desde que todos os dados da conta sejam informados. Os pagamentos via PIX também poderão ser realizados através de um QR code, que pode ser tanto estático ou dinâmico, que é compartilhado com o pagador.

Como cadastrar a chave PIX

A chave PIX nada mais é do que um tipo de nome que cada conta terá e que será importante para facilitar as transações financeiras. Essa chave poderá ser o número do CNPJ da empresa, um número de telefone celular, um e-mail ou então ter uma chave aleatória.

Também é possível utilizar a chamada chave aleatória, que consiste em um conjunto de letras, símbolos e número que é gerado aleatoriamente pelo aplicativo do seu banco ou fintech. É possível escolher entre cadastrar apenas uma chave aleatória ou gerar uma chave nova a cada pagamento.

Para cadastrar a sua chave PIX é preciso entrar em contato com o seu banco ou com a fintech na qual você possui conta. É importante dizer que também será permitido fazer o registro de mais de um e-mail ou mesmo mais de um número como chave PIX. Sendo que, cada pessoa jurídica poderá registrar até 20 chaves diferentes em contas de sua titularidade. Entretanto, contas diferentes precisam ter chaves diferentes. Além disso, a portabilidade de chave também será permitida.

QR code estático ou dinâmico: qual a diferença

Outra forma de efetuar pagamentos com o PIX no varejo é através do QR code. Muitas pessoas optam por esse formato que geralmente é mais fácil e mais moderno, e a primeira opção para muitos clientes. Entretanto, antes de escolher esta forma é preciso entender as diferenças entre o QR code estático e o dinâmico:

Estático: este é o tipo mais recomendado para os donos de pequenos negócios, para quem faz prestação de serviços ou mesmo para pagamentos entre pessoas físicas. O QR code será sempre o mesmo, entretanto é possível definir um valor fixo ou mesmo alterar o valor para cada pagamento;

Dinâmico: essa é a melhor opção para empresas e lojas com grandes movimentações. Neste tipo de QR code, um novo código é gerado pelo sistema de pagamento a cada transação que será realizada. Ainda, é possível também incluir outras informações, tais como a identificação de quem está recebendo.

Benefícios do PIX no varejo

Olhando para o funcionamento do PIX no varejo, ele será capaz de trazer diversos benefícios, tantos para os varejistas quanto para os seus clientes. Dentre os principais benefícios podemos citar:

Mais opções de pagamento: os varejistas poderão oferecer aos clientes o PIX como opção de pagamento, além dos já conhecidos, dinheiro físico, cartão de débito, cartão de crédito, boleto, TED e DOC. Isso é válido tanto para as compras efetuadas em lojas físicas quanto nas lojas online;

Rápido recebimento: com o PIX o dinheiro cairá imediatamente na sua conta, aumentado a disponibilidade de capital de giro para o seu negócio;

Custos menores: os custos com o recebimento de pagamentos via PIX serão menores, permitindo aos varejistas pagar menos por transação e até mesmo oferecer descontos para os clientes que optarem por essa forma de pagamento;

Sem intermediários: como o PIX permite que a transação financeira seja feita diretamente entre o pagador e o recebedor, os intermediários são eliminados, isso resulta em um rápido recebimento e em menores custos;

Redução de riscos operacionais: como todo o processo de pagamentos e recebimentos são efetuados eletronicamente, o risco de manter dinheiro em papel na loja é reduzido;

Melhorar a experiência do cliente: cada vez mais as pessoas estão interessadas em tornar as atividades do dia-a-dia descomplicadas, e o PIX é um excelente exemplo disso. Essa ferramenta permitirá realizar o pagamento de forma mais fácil, a confirmação de um pedido será mais rápida, já que a loja recebe o dinheiro pela compra mais rápido, e o pedido pode ser enviado mais rapidamente;

Maior controle dos recebimentos: como é possível registrar diversas chaves PIX para uma mesma conta, essa pode ser uma ótima forma de controlar melhor todas as entradas e saídas da conta. Isso porque você pode compartilhar chaves diferentes, com pagadores diferentes. Além disso, também oferece um maior controle sobre os dados da sua empresa, que não precisará ser informado para muitas empresas ou pessoas.

Diferenças entre o PIX e outras formas de pagamento

Para conseguir entender melhor todas as vantagens que o PIX terá no varejo, é importante entender também como as demais formas de pagamento funcionam. Somente desta forma é que você poderá encontrar quais são as opções mais vantajosas para oferecer aos seus clientes. Veja a seguir como é o funcionamento dessas outras formas de pagamento:

Boleto: o varejista recebe o dinheiro somente no próximo dia útil após o pagamento, há um valor fixo por boleto emitido, o pagamento (saída do dinheiro da conta do pagador) geralmente ocorre somente em dias úteis, as regras para emissão de boleto são mais complexas;

Cartão de débito: o dinheiro estará disponível em cerca de 2 dias úteis para o recebedor, o comerciante paga uma taxa que corresponde a um percentual do valor da compra, pode ser realizado em qualquer dia da semana, é preciso pagar uma taxa ou aluguel para utilizar a máquina de cartão, e essas taxas variam conforme a empresa;

Cartão de crédito: muito semelhante ao débito, com a diferença de que dinheiro estará disponível somente em cerca de 28 dias após o pagamento efetuado pelo cliente;

TED: o dinheiro cai no mesmo dia, caso o pagamento seja realizado dentro do horário de funcionamento bancário, sem custo para o recebedor, pode ser realizado somente em dias úteis, é preciso informar diversos dados do recebedor (CNPJ, número de conta, agência e nome do titular);

DOC: a diferença dele para o TED é que o DOC cai na conta somente no dia útil seguinte ao pagamento.

Diante de todas essas informações, fica fácil de entender qual é a importância e os benefícios que o PIX terá no varejo. Veja a seguir como fazer para oferecer o pagamento via PIX aos seus clientes.

Como usar o PIX no seu estabelecimento

Como você já deve ter percebido que o uso do PIX poderá ser muito vantajoso e trazer muitos benefícios tanto para os donos de negócios como para os clientes. É importante ainda mencionar que o varejo terá um papel fundamental para incentivar e aumentar o uso do PIX.

Entretanto, para que ele funcione adequadamente, é preciso saber o que é preciso fazer para implantar o PIX no seu estabelecimento. O Banco Central do Brasil recomenda aos varejistas que pesquisem quais são as condições para adesão ao PIX nas diferentes instituições financeiras e fintechs. Isso é válido também para a disponibilidade, funcionalidade e quais serão as tarifas aplicadas. Como cada negócio é único, somente com essas informações em mãos o empresário e o gestor poderão escolher a solução que seja mais vantajosa para a sua empresa.

Além disso, caso a sua empresa tenha mais de uma conta será preciso escolher uma conta transacional, que será chamada de Prestador de Serviço de Pagamento. Ainda, se você possui um sistema de automação de pagamento, é importante verificar se ele terá integração com o PIX.

Como será a cobrança pela utilização do PIX

Outro ponto importantíssimo que os donos de varejo precisarão ficar atentos, é quanto será cobrado pela utilização do serviço. Isso porque, nem todas as instituições bancárias e fintechs optaram por oferecer o serviço gratuitamente aos seus clientes, sejam eles pessoas físicas ou jurídicas ou, para receber ou efetuar pagamentos.

Por isso, é importantíssimo entender exatamente como o seu banco ou fintech lidarão com o PIX. Apesar disso, as tarifas aplicadas aos PIX ainda serão menores que outras formas de pagamento, conforme informamos acima. Sem falar na agilidade que a transação ocorrerá.

Via de regra, apenas os Microempreendedores Individuais (MEIs) é que poderão tanto fazer quanto receber pagamentos de forma gratuita. Os MEIs serão cobrados somente se o titular da conta efetuar as transações através de um serviço que seja presencial ou que exija a presença de algum funcionário do banco, como, por exemplo, por telefone.

O PIX será usado apenas no varejo?

Não, o uso do PIX não está limitado apenas ao varejo. Ele também poderá ser utilizado em muitas outras situações. Como dissemos anteriormente, a intenção de disponibilizar mais essa ferramenta é fazer com que os pagamentos sejam mais rápidos e mais fáceis, desburocratizando as transações bancárias. Por isso, de acordo com o Banco Central, o PIX poderá ser utilizado para:

Fazer pagamentos entre pessoas físicas;

Fazer pagamentos de compras online;

Fazer pagamentos em lojas físicas, entre pessoas físicas e jurídicas;

Para efetuar o pagamento de fornecedores, ou seja, entre pessoas jurídicas;

Transferências para órgãos governamentais, como no pagamento de impostos e taxas;

Pagamento de convênio, salários, serviços e benefícios sociais.

Dito isso, fica fácil de entender o papel do PIX no varejo, já que a partir de novembro, as empresas que optarem por ele poderão fazer pagamentos de fornecedores, salários, tributos e ainda receber os pagamentos dos seus clientes.

PIX no varejo: últimas dicas

Vale lembrar que como toda novidade, poderá levar algum tempo para que ela seja amplamente utilizada ou mesmo para que todas as pessoas e empresas passem a fornecer o serviço. Entretanto, é fundamental dizer que para que uma empresa seja competitiva ela precisa estar atenta às novidades do mercado. Empresa que está antenada no que acontece e é capaz de oferecer sempre as últimas novidades para os seus clientes, sem dúvida alguma, sairão na frente da concorrência. Portanto, não perca tempo e cadastre a sua chave PIX.

 

Fonte: Blog Listen X

FCDL Notícias
  • 34% das redes regionais não investiram em tecnologia

    Continue lendo Clique e leia
  • O compliance digital no contexto das pequenas e médias empresas

    Continue lendo Clique e leia
  • Conheça as 11 formas de pagamento mais usadas atualmente

    Continue lendo Clique e leia
  • Varejo atual precisa estar “próximo, disponível e pronto para o cliente”

    Continue lendo Clique e leia
  • O que vale mais: experiência extraordinária ou experiência sem fricção?

    Continue lendo Clique e leia
  • Um olhar sobre o varejo atual: tudo o que sua empresa precisar saber

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais