FCDL Notícias

Supermercados redobram a atenção para o mercado pet

O setor de produtos e serviços para animais de estimação, no Brasil, deve registrar um crescimento de 13,5% para o ano de 2020 na comparação com 2019, segundo projeções do Instituto Pet Brasil (IPB). Os dados ainda não estão consolidados, mas a entidade estima que o mercado tenha movimentado R$ 40,1 bilhões entre janeiro e dezembro de 2020.

“A cifra é 6,88% maior do que aquela projetada nos primeiros seis meses de 2020”, enfatiza o presidente-executivo do IPB, Nelo Marraccini. Entre os itens que mais cresceram em faturamento destacam-se pet food (com alta de 22,5%) e produtos veterinários (16%).

Por conta do isolamento social imposto pela pandemia, os canais digitais também se destacaram em 2020. “A soma de todo comércio pet eletrônico em 2020 deve chegar a R$ 1,8 bilhão este ano”, contabiliza Marraccini. O montante representa cerca de 4,6% do faturamento geral do mercado pet e registra crescimento 11% em relação a 2019, de acordo com os dados compilados até o terceiro trimestre de 2020.

“Acreditamos que, a partir de agora, a busca por produtos online deve se estabilizar, mas como até pequenas e médias lojas entraram no ambiente digital, esse nicho deve se consolidar como um dos canais que o consumidor espera estar disponível para fazer suas compras”, avalia.

Entre as tendências do mercado está a previsão de alta na oferta de produtos e serviços exclusivos para os felinos. “De forma geral, cada vez mais os consumidores procuram e querem oferecer para seus pets produtos que se assemelham àqueles que escolhem para si próprios”, demonstra Marraccini. “A ‘humanização’ dos animais de estimação, na verdade, faz com quem os donos tenham mais cuidado e atenção na hora de escolher itens para seus pets, desde alimentos até acessórios e produtos de bem-estar”.

Categoria em destaque nos supermercados

O varejo alimentar (supermercados e mercearias) responde por cerca de 8% do faturamento de setor pet. “Quem conseguir chamar atenção do consumidor pode sair na frente, criando espaços diferenciados dentro das lojas e facilitando a visualização de produtos”, indica Marraccini. “Como as famílias querem encontrar itens diferenciados ou divertidos para os pets, a alternativa é buscar produtos que se destacam. Hoje em dia, há muita variedade entre brinquedos, roupinhas e outros acessórios”.

Com o avanço das vendas online, os supermercados também precisam trabalhar essas estratégias para os canais digitais, facilitando a oferta de produtos para animais de estimação. “Muitas vezes, o cliente até precisa de um item para seu cão, gato ou outro pet, mas não associa aquela loja ao que está precisando”, alerta. Aprimorar as ferramentas de relacionamento com consumidores nos canais digitais, buscando maior assertividade nas recomendações de produtos e ofertas, também é fundamental para promover a venda desses itens.

 

Fonte: Super Varejo

FCDL Notícias
  • Como a digitalização dos meios de pagamento pode impactar no negócio

    Continue lendo Clique e leia
  • Omnichannel: transformando a gestão de estoque

    Continue lendo Clique e leia
  • Caminhos para uma boa reputação: como atender às expectativas do consumidor?

    Continue lendo Clique e leia
  • As oportunidades e desafios do social commerce no Brasil

    Continue lendo Clique e leia
  • 34% das redes regionais não investiram em tecnologia

    Continue lendo Clique e leia
  • O compliance digital no contexto das pequenas e médias empresas

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais