FCDL Notícias

Uso da tecnologia é um dos desafios para o varejo

A quinta edição do Fórum Nacional do Varejo, Consumo e Shopping Centers, que aconteceu na última semana, no Guarujá (SP), tem como premissa debater a contribuição do varejo no desenvolvimento econômico e social do país, setor que representa quase 10% do PIB brasileiro e tem sofrido nos últimos dois anos com a crise econômica. Centenas de líderes empresariais discutem temas pertinentes à área e a outros setores relacionados à cadeia de consumo, como marketing, concessão de crédito, tecnologia e comportamento de consumidores.
O primeiro painel abordou o crescimento: “a contribuição do varejo e do consumo no desenvolvimento econômico e social do Brasil”. Vander Giordano, vice-presidente da Multiplan, uma das maiores empresas de shoppings do país, com 18 unidades, 5,4 mil lojas, disse que o país ainda engatinha no segmento de shopping centers em relação a outros países. Mas, está otimista em relação ao processo de desenvolvimento do negócio e a retomada do crescimento, baseada as reformas anunciadas pelo Governo Federal.
Ainda de acordo com Giordano, o futuro do varejo tem como desafios a tecnologia, ele destacou o big data. “Quem estiver mais à frente e saber estratificar os dados terá mais sucesso”. A impressora 3D; a internet das coisas: de que forma o varejo vai integrar tudo isso; e a inteligência artificial, quando a atividade humana vem sendo substituída por processadores.
A companhia investiu mais de R$ 1 bilhão no ano passado. E tem previsão de dois lançamentos para os próximos meses. “No Rio Grande do Sul a Multiplan vai inaugurar um shopping, apostando num estado que está sofrendo. Outro exemplo é o Rio de Janeiro, também em dificuldades”, diz, ressaltando que a empresa crê na retomada do crescimento. “Precisamos mudar a mentalidade do estado interventor, se isso não acontecer vai tonar essa retomada ainda mais difícil”. Em 2015, o Brasil contava com 520 shoppings centers, com faturamento de R$ 160 bilhões.
Roberto Mussnich, presidente do Atacadão, que em 2015 faturou quase 30 bilhões, operação que mais apresenta crescimento do Grupo Carrefour, também acredita que o setor tem passado por mudanças impactadas pela tecnologia. “No meio do caminho entre a indústria e o varejo”, a rede tem investido para renovar ativos, sortimentos e mão de obra.

Fonte: Portal Propmark

FCDL Notícias
  • Varejo agora é high-tech

    Continue lendo Clique e leia
  • Jornada de compra: pesquisa mostra grau de preparo dos lojistas com cada etapa

    Continue lendo Clique e leia
  • Lojas Biônicas se tornam realidade

    Continue lendo Clique e leia
  • Vídeos geram 30% mais vendas do que fotos nas redes sociais, revela estudo

    Continue lendo Clique e leia
  • Consumidores estão mais abertos ao consumo de marcas locais

    Continue lendo Clique e leia
  • Como as PMEs estão transformando o sistema bancário

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais