Pesquisa Dia das Crianças

Catarinense tem atitude conservadora nas compras para dia das crianças em SC

Incerteza no cenário econômico nacional influenciou na data

A incerteza sobre o cenário econômico nacional ainda tem forte influência no comportamento do consumidor catarinense. A atitude dos clientes do varejo nas compras para o dia das crianças foi mais conservadora e o reflexo disso está no valor do tíquete médio apurado pela pesquisa da Federação das CDLs de SC (FCDL/SC) e Fecomércio/SC: R$129,81 – retração de 9,7% no comparativo com a mesma data no ano passado.

Para a FCDL/SC um indicativo de maior procura por opções de crédito está no volume de consultas ao banco de dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC/SC). “Tivemos crescimento de 1,2% nos primeiros dias do mês comparados a 2015, o que mostra a disposição do consumidor em buscar crédito, nas próprias lojas, tendência que deve se repetir no fim do ano”, avalia Ivan Tauffer, presidente da entidade.

Em função do cenário econômico nacional o total de empresas que realizaram contratações temporárias para a data foi reduzido neste ano (6,4%) – com média de 2,5 trabalhadores por estabelecimento. Outro indicativo é a variação do faturamento em relação à mesma data do ano anterior, que foi de queda de 7%. Já na comparação com os meses sem eventos importantes para o setor o crescimento foi de 17,1%. Quanto ao tíquete médio entre as cidades pesquisadas, pelo segundo ano consecutivo o destaque positivo ficou com Itajaí: R$ 197,42.

Diante das formas de pagamento, a compra à vista foi preponderante, sendo responsável por 64,1% do total, distribuído da seguinte forma: dinheiro (25,9%), cartão de crédito (21,7%) e cartão de débito (16,5%). “Cerca de 18% dos catarinenses estão com dívidas ou contas em atraso. Neste contexto de endividamento e desaceleração da renda, o fato de optarem pelo pagamento à vista é bastante benéfico e indica um amadurecimento do consumidor, que não deixou de garantir o presente, mas comprou de acordo com seu orçamento”, avalia Bruno Breithaupt, presidente da Fecomércio/SC.

Por fim, a pesquisa de preços foi bem observada pelos empresários do comércio. Para 48% a frequência das consultas foi alta, enquanto que para 40% foi baixa. Completa o quadro os 12% que consideraram razoável esse comportamento.
Considerada a quarta data mais significativa para o comércio, a pesquisa para o dia das crianças foi realizada com 406 empresas do comércio de Santa Catarina, distribuídas nas cidades de Blumenau, Chapecó, Criciúma, Itajaí, Lages, Joinville e Florianópolis.


Avaliação do consumidor

A pesquisa apontou queda de um ano para o outro em diversos indicadores junto ao empresário, como o gasto médio e a variação do faturamento. Conjugada ao aumento da desistência das compras, os dados apontam que o consumidor vem vivenciando a retração em sua renda, bem como o aumento da contenção do crédito. Dentre os contatados, 44,1% declararam não ter realizado as compras para a data, índice que em 2015 foi de 32%.

A maior parte dos pesquisados não levou as crianças para a realização das compras (75,2%), como já apontava a pesquisa de intenção de compras, quando 74,4% dos entrevistados adiantou essa intenção.

Os principais presentes comprados foram do segmento de brinquedos (55,4%), seguido por vestuários (22,6%), que também lideraram no levantamento do ano anterior. Referente ao gasto médio despendido em cada segmento de presente adquirido, o consumidor que presenteou com eletrônicos em geral foi o que mais gastou (R$523), seguido pela opção outros (R$255,55). Os brinquedos foram o terceiro gasto médio mais representativo, ficando em R$111,11.

Outra questão importante para compreender o comportamento do consumidor é observar onde este prefere realizar as suas compras para cada data, entendendo que cada local escolhido possui características específicas e atraem públicos diferenciados. A maioria dos catarinenses realizou suas compras no comércio de rua (68,6%), destino também escolhido no ano anterior ( 60,5%).O shopping ficou em segundo lugar, com 24,5% e as transações virtuais representaram 2,9%. Os principais atributos levados em consideração para a efetivação da compra foram as características dos produtos (9,06) e o local (8,63). Destaque para um atributo novo avaliado nesta pesquisa, o peso da escolha da criança, que recebeu nota 7,09. A promoção foi o que menos impactou na hora da compra, com nota média de 5,39.

Confira a pesquisa por região:
Blumenau
Chapecó
Criciúma
Florianópolis
Itajaí
Joinville
Lages

Resultado de Vendas

Avaliação do Consumidor