Semana Lojista

Sphor: Otimismo e determinação na CDL Chapecó

Clóvis Afonso Spohr, presidente da CDL Chapecó

“Manter o atual nível de excelência já será um desafio”, observa o empresário Clóvis Afonso Spohr, recém-eleito presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Chapecó (CDL) para o triênio 2017-2019. O novo dirigente tomou posse em janeiro, sucedendo José Carlos Benini no comando de uma das mais influentes entidades empresariais do oeste catarinense. Spohr foi diretor do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e ocupava o cargo de vice-presidente da CDL. Graduou-se engenheiro civil pela Universidade Federal de Santa Maria, com pós-graduação em projeto e análise de estruturas pela UFRGS/UNOESC Chapecó e MBA em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas. Na vida corporativa, é empresário do segmento da construção civil e atua como diretor da empresa Dimensão. Na vida comunitária, foi presidente da Oficina Educativa Verde Vida e do Rotary Clube de Chapecó Leste e membro atuante do Sinduscon/Oeste.

Na sua avaliação estamos chegando ao fim da crise econômica iniciada em 2015? Podemos esperar a retomada do crescimento econômico em 2017?

Sim, estamos chegando ao fim da crise, mas infelizmente não de seus efeitos, que ainda serão sentidos por algum tempo. Com certeza, em 2017 já vamos iniciar a retomada do crescimento. A intenção de consumo das famílias voltou a crescer, apesar de estar abaixo dos indicadores desejados, o que nos deixa otimistas.

Qual será o papel de Chapecó, como principal polo comercial do grande oeste catarinense, nos próximos anos? Fala-se no surgimento de novo shopping e na abertura de novos empreendimentos nas áreas de serviço e comércio especializado.

Chapecó é uma capital, precisa alavancar e liderar todos os movimentos, não só do comércio. Com certeza surgirão novos investimentos no setor. Seremos parceiros. Não há melhor estímulo do que uma concorrência competente e leal. O desenvolvimento atrai, é inevitável, é preciso estar preparado e agir.

Quais os principais desafios do comércio chapecoense para os próximos anos? Como a tecnologia e o avanço das lojas virtuais impactarão no varejo tradicional?

Difícil prever, tudo muda muito rápido. Apesar do avanço da tecnologia e acesso a informação, o comercio eletrônico representa, ainda, uma pequena parcela no faturamento do comércio. Obviamente, é um processo que não tem volta. A dificuldade é prever com que intensidade vai acontecer. O comportamento de compra das novas gerações ainda está sendo estudado. Estão mais informados, mas são menos fiéis. Acredito que o modelo tradicional – com sensibilidade e percepção das mudanças – ainda é um excelente negócio.

Da mesma forma, em relação ao município de Chapecó, qual será seu papel histórico, político, cultural e econômico como polo de uma vasta região que abarca o oeste de Santa Catarina, o sudoeste do Paraná e o noroeste do Rio Grande do Sul?

É um exemplo a ser seguido. Em 2017 fazemos 100 anos de emancipação com mais de 200 mil habitantes. Um modelo cooperativo exemplar, destaque em feiras e eventos, um polo de ensino e educação, construção civil em destaque, comércio e serviço de referência. Precisamos agora estruturar definitivamente os acessos rodoviários, ampliar o aeroporto e melhorar o abastecimento de água e energia, tudo absolutamente possível. Acredito que com determinação política e a força empresarial as respostas e principalmente as obras virão.

Quais suas prioridades e metas no comando da CDL CHAPECÓ a partir deste ano? Qual será “a marca” de sua gestão?

Precisamos manter a excelência da CDL de Chapecó, já reconhecida em todo Estado. Aumentar de forma sustentável o número de associados, capacitar e motivar o lojista. Procuramos montar uma equipe que represente todos setores, segmentos e ramos do varejo. Dessa forma será possível captar os anseios e permear as informações. É um grupo muito capacitado. Nossa intenção é potencializar todas as formas de vender.

O senhor tem como característica a implantação de novidades e de ideias arrojadas. Existe alguma estratégia comercial ou de marketing esperando para ser apresentada?

Com certeza, estamos ainda estudando alguns projetos, mas nosso planejamento passa por ações da CDL, que efetivamente resultam em vendas para o comércio de Chapecó. A intenção é tirar um pouco o foco da Instituição e iluminar o comércio.

O otimismo é uma das suas marcas. Isso ajuda na liderança da categoria?

O otimismo é muito importante, pois estimula o grupo de trabalho, mas por si só, não é suficiente. Por isso, pretendo trabalhar muito e dedicar parte do meu tempo liderando pelo exemplo, pelo comprometimento, pela entidade, pelos seus associados.

Qual a sua maior expectativa junto à CDL? Quais as mudanças e transformações que o senhor, eventualmente, implantará em sua administração?

Primeiramente, quero enaltecer as excelentes gestões que a CDL teve até hoje. Já é um grande desafio manter a instituição nestes patamares, mas, obviamente, quando há mudanças, há uma nova dinâmica na gestão, pretendo aproximar mais ainda a CDL do varejo, estar mais presente no dia a dia lojista.

MAIS DA Semana Lojista 763
  • A verdadeira essência

    Continue lendo Clique e leia
  • Vencedores do Show de Prêmios da CDL Palmitos

    Continue lendo Clique e leia
  • Nova diretoria da CDL Saudades toma posse

    Continue lendo Clique e leia
  • Florianópolis: Lidomar prioriza combate à ilegalidade

    Continue lendo Clique e leia
  • Premiação “Urubici tem o presente que você procura”

    Continue lendo Clique e leia
  • Sorteio da promoção Natal 2016 da CDL Praia Grande

    Continue lendo Clique e leia
Veja mais